Leticia Daniela - assistente do Datena (Foto: Divulgação / MF Press Global)
Leticia Daniela – assistente do Datena (Foto: Divulgação / MF Press Global)

Letícia Daniela foi vítima de um golpe que tornou-se comum e já somam milhões de reais em prejuízo. A compra de selos de verificação do Instagram, curtidas e seguidores fictícios.

A modelo, assistente de palco do Datena, recentemente foi vítima de estelionato na internet. O rapaz que se apresentava como especialista em mídias sociais, Filipe Bruno Travaglia, dizia representar uma empresa com foco em serviços para movimentar e gerir perfis nas redes sociais.

Filipe procurou Leticia, indicado por uma outra modelo famosa, enviando mensagem direta no perfil, e ofereceu-lhe um serviço que, embora tenha sido pago, nunca foi realizado: “Fui procurada por ele, que dizia ser uma empresa de mídia social. Eu precisava mesmo de uma empresa movimentando minha rede social, por falta de tempo e pelas estratégias que ele disse que faria para melhorar a visibilidade. Era tudo uma farsa, paguei e nada foi feito“, afirma Letícia.

Letícia ao se ver vítima de um golpe, entrou em contato com a empresa MF Press Global que logo a alertou de que, o que relataram à ela não era verdade e que ela realmente foi vítima de um golpe, orientando-a assim junto ao advogado Newton Dias, a buscar meios para reaver seu prejuízo e para que evitasse que outras pessoas sofressem do mesmo golpe.

O caso de Letícia pode ser o estopim para a descoberta de uma possível máfia de selos adquiridos através de diversas pessoas que vendem o serviço que deveria ser exclusivo do Instagram e sem cunho financeiro.

Suspeito de estelionato, Eduardo Costa presta depoimento

Segundo o advogado Newton Dias, especialista em ações de internet, caso se verifique que exista essa máfia, todos aqueles que se utilizaram do título de verificação obtido de forma inverídica, poderão ser processados e ainda perderem seus selos.

Na visão de Newton Dias, a compra de seguidores, curtidas, comentários e selos de verificação, com a posterior oferta ao contratante de uma realidade fictícia, configura estelionato.

A oferta de uma identidade digital de números de seguidores, curtidas , comentários  e verificações obtidas de uma forma irregular , levando um contratante a investir numa realidade que não é a verdadeira também é CRIME ! Passível também da quebra imediato dos contratos celebrados e indenização por danos morais!“, disse Newton Dias.

A empresa MF Press Global que agora faz a gestão da carreira da Leticia Daniela, disse ter entrado em contato com o Instagram alertando sobre os golpes milionários. A empresa alega ter recebido mais de 20 contatos de pessoas que se diziam vítima do golpe e pediram ajuda, já que a empresa trabalha com mídia social.

Não podemos fazer nada a não ser orientar. Não se paga nada antes do serviço feito. Fico com pena, lamento muito, mas não há o que fazer a não ser registrarem na polícia para que algo seja feito e com a ajuda da imprensa as pessoas serem avisadas e os golpistas não conseguirem seu objetivo. A imprensa pode também pressionar o Facebook, empresa dona do Instagram a ter um contato para que as pessoas que se acham no direito de obter o selo procurarem diretamente a empresa,” relata o SEO da empresa Fabiano de Abreu.

+ ‘Bufa no ar?’ Datena tapa o nariz em entrevista ao vivo com Bolsonaro

Sobre o caso de Letícia:

Datena com suas assistentes de palco/Instagram
Datena com suas assistentes de palco/Instagram

O suspeito de estelionato prometeu à Leticia que faria movimentação das redes sociais e colocaria o selo azul de verificação em seu perfil, mediante pagamento realizado antes mesmo do serviço. O caso foi registrado na 96ª Delegacia de Polícia Civil em São Paulo, aonde Letícia, de posse das provas, prestou queixa e fez Boletim de Ocorrência presencialmente.

O caso está sendo investigado pela polícia paulista e tipifica-se nos artigos de crime ao patrimônio (art. 155 e 183) e estelionato (art. 171). No Brasil, tem crescido exponencialmente o número de denúncias e registros de ocorrência como esse. Em 2017, mais de 10 mil pessoas foram vítimas de estelionatos na internet, segundo a DRCI (Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática).

A pena prevista para o crime de estelionato é de 1 a 5 anos de reclusão e multa, e varia de acordo com o tamanho do prejuízo causado pelo estelionatário, segundo o critério do juiz do caso.

Confira também:

Ator é preso após se envolver em briga



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here