Mário Sabino – Foto: Reprodução / TV TEM

Morreu na noite desta última sexta-feira (25), na cidade paulista de Bauru, o ex-judoca olímpico e cabo da PM Mário Sabino Jr.

Segundo informações do site Globo Esporte, ele se desentendeu com um colega militar e teria sido assassinado pelo sargento Agnaldo Rodrigues (do Centro de Operações da Polícia Militar, Copom), que se suicidou em seguida. Os corpos foram encontrados por uma viatura da PM, e o local foi periciado, dando início às investigações.

Morre aos 74 anos Walter Franco, ícone da vanguarda

Mário Sabino tinha 47 anos e disputou as Olimpíadas de 2000 (Sydney, Austrália) e 2004 (Atenas, Grécia) na categoria meio-pesado. Ele foi medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2003 (Santo Domingo, na República Dominicana) e bronze do Mundial de Osaka (Japão) no mesmo ano. Ele também foi bicampeonato pan-americano de masters. Além de policial, o ex-judoca atuava como assistente técnico da seleção feminina.

Nas redes sociais, o apresentador Flavio Canto, bastante abalado com a morte do antigo companheiro de delegação olímpica, já que eles estiveram juntos nas equipes que disputaram os Jogos de 2000 e 2004, prestou uma homenagem a Sabino.

“Sem palavras ainda. Nosso amigo de tantas lutas partir desse jeito…”, escreveu ele.

Além dele, outros atletas também se manifestaram lamentando a morte do ex-judoca. A ex-nadadora Joanna Maranhão falou sobre a relação do seu marido, o judoca Luciano Corrêa, com Sabino.

“Tive a chance de conhecer Mário Sabino através de Lu que sempre me falou muito bem dele. Foram adversários por anos e se tornaram amigos. Ele era realmente tudo que as pessoas sempre diziam. Uma pessoa doce, vai fazer muita falta!”, escreveu Maranhão.

Filha de cantor gospel morre aos 15 anos

William Lima foi campeão mundial júnior e teve Sabino como treinador, também prestou uma homenagem. “Acho que isso é mais um breve desabafo. Esse ano tive a honra de poder estar ao lado desse cara incrível que é o Sensei Sabino, apesar dos poucos dias que tivemos conversamos muitos, ele me ensinou muita coisa, me contou muitas histórias e a cada segundo perto dele só passava a admirar mais e mais ele”, começou ele.

“Ele ficou triste cmg quando perdi e depois ele levantou minha cabeça e me disse que ainda não tinha acabado e confiava em mim, ele vibrou cmg muito quando ganhei, a cada luta a cada segundo ele tava ali cmg e sabia que podia contar com ele. Depois de tudo ele me disse que acreditava em mim e no meu potencial e eu disse pra ele que não ia decepciona-lo e ainda mantenho essa promessa, eu estava ansioso pra ver ele de novo pq apesar do pouco tempo que tive com ele com certeza ele me ajudou a melhorar e vou levar cmg”, finalizou William.

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) divulgou nota oficial lamentando a morte de Sabino, além disso eles declararam que farão um minuto de silêncio na abertura da CBI (Seletiva Nacional Sub-18). “A Confederação Brasileira de Judô expressa seu mais profundo pesar e consternação pela perda repentina e trágica de um judoca, amigo e professor. Mario Sabino Júnior será lembrado para sempre e com carinho por toda a família do judô brasileiro”, diz a nota oficial.

Veja também:

Jornalista Saulo Gomes morre aos 91 anos em Ribeirão Preto



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here