Monica Carvalho/ Instagram
Monica Carvalho/ Instagram

A atriz Mônica Carvalho,  musa nos anos 90, declarou em recente entrevista a revista  Caras  que acredita que a boa genética a ajuda.

“Minha avó quase não teve rugas, acredito que herdei essa parte. Não fiz plásticas, mas faria caso precisasse, sem problema nenhum. Inclusive, faço botox e me sinto linda, toda esticada”, brinca. “Fico feliz por receber elogios, mas não existe milagre, eu me cuido”

Faço musculação, treino aeróbico e pilates, também tenho uma alimentação saudável e regrada, mas não sou neurótica, o equilíbrio é importante”, completa Mônica.

Trabalho é com ela mesmo, são 32 anos de carreira como atriz e e ela ainda é autora da peça: ‘Amor Humor, o Resto é Bobagem’, obra que vai virar longa, e, atualmente, escreve o espetáculo ‘O Amor Entre Elas’, que deve estrear até o fim do ano em São Paulo. “Estou sempre trabalhando”, afirma, aos risos.

Mãe

Mesmo com tantos afazeres, em casa, a bela garante que é mãezona e faz tudo pelas filhas, Yaclara (14) e Valentina (2). “Sou muito família, sempre quis casar e ser mãe. Estou realizada, profissional e pessoalmente”, garante.

Por conta de sua personagem da sacerdotisa Thanit na macrossérie , ‘Jezabel’, da Record, ela precisou se afastar 90 dias para as gravações .

“Não vou deixar de trabalhar e também não vou deixar de amar minhas filhas por ficar longe de casa. Sou uma mulher moderna, trabalho, sou dona de casa, esposa e cuido das minhas filhas. Quando posso, as acompanho ao colégio e, quando não, alguém faz isso por mim”, diz ela.

E ainda declarou que tem total apoio do marido, o empresário Alaor Paris, com quem esta casada há 10 anos. “Ele é quem me dá forças. Ama acompanhar meu trabalho e me dá conselhos, ainda que não tenha nada a ver com a área artística. Eu o admiro muito”, declara.

Maturidade

Perto dos 50 anos, a ideia de envelhecer não a assusta.“Ficar pensando em coisas que, querendo ou não, vão acontecer, é perda de tempo. Todo mundo vai envelhecer. A vida é linda demais, acho que temos de pensar nas coisas que construímos e nos sentir orgulhosos disso. Procuro, a cada dia, ser uma pessoa melhor”, analisa. “Me sinto uma mulher muito mais segura, em todos os sentidos. Não penso nos meus 50, mas sei que quero chegar nos 60 e, se Deus quiser, muito longe ainda”, espera.

Veja Também:



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here