Quincy Jones e Michael Jackson - Reprodução/Google Images
Quincy Jones e Michael Jackson – Reprodução/Google Images

Em uma entrevista para lá de polêmica à revista “Vulture”, o empresário e produtor musical Quincy Jones resolveu soltar o verbo sobre grandes nomes da música e nem o maior astro pop de todos os tempos, Michael Jackson, foi polpado.

Vencedor de 28 prêmios Grammy e conhecido por grandes trabalhos musicais como o clássico “We are the world”, de 1984, e o albúm “Thriller”, de Michael Jackson, Quincy surpreendeu os fãs do Rei do Pop ao revelar um lado obscuro do artista falecido.

Michael roubou muita coisa. Ele roubou muitas músicas”, diz Jones, comparando State of independence, de Donna Summer, ao clássico Billie jean. ”As notas não mentem. Ele era maquiavélico’‘, diz.

Para Quincy, todas atitudes do Rei do Pop eram alimentadas pela “ganância”: “Em ‘Don’t stop ‘til yo get enough’, Greg Phillinganes escreveu a seção de teclado. Michael deveria lhe dar 10% dos rendimentos da música. Mas nunca fez isso.”, afirma.

Quincy, só falta dizer que Michael é problemático, fala de sua obsessão por cirurgias plásticas que era devido ao pai, que foi abusivo durante sua infância toda, o ridicularizava, chamava de feio, deixando cada vez mais com baixo auto estima.

‘Eu zoava ele por causa das plásticas. Ele sempre tentava justificar dizendo que era por conta de uma doença. Papo furado”, fala. ”No fim, o problema de Michael era (o anestésico) Propofol e esse problema afeta todo mundo, não importa se você é famoso”, conclui.

Muitos fãs de Michael não ficaram satisfeitos com a declaração de Jones e movimentaram as redes sociais com diversas postagens protestando cada linha da entrevista concedida pelo aclamado produtor musical.

Relembre um dos clássicos do Rei do Pop!

Colaborou Amanda Iglesias



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here