Regina Casé / Reprodução: Instagram
Regina Casé / Reprodução: Instagram

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a TV Globo e a apresentadora Regina Casé a indenizarem o encarregado de obras Vanderlei Velozo Miranda e Roseli Cristina da Silva Miranda, em cerca de 2,5 milhões de reais, por danos morais e uso indevido da imagem do filho do casal no programa ‘Esquenta’. Vanderlei e Roseli são pais de Guilherme, um menino de oito anos, que morreu vítima de um tumor cerebral em 2015.

Regina Casé teria abordado Guilherme na brinquedoteca do Hospital Boldrini, em Campinas e, sem a presença dos pais dele, gravou uma reportagem que foi realizada sem autorização. Guilherme morreu cinco dias depois da entrevista.

O advogado da família, Alexandre Damaceno, conversou com o portal Uol e contou detalhes da indenização. “A indenização será calculada levando-se em consideração diversos fatores, sendo os principais: o tempo de exibição fixado em 12 minutos aproximadamente e os lucros obtidos pela emissora no período de exibição. O valor somente será conhecido após perícia contábil determinada em sentença”, contou Alexandre.

A Rede Globo e a apresentadora ainda podem recorrer da decisão.

Depoimento de Regina Casé

Em depoimento, a apresentadora afirmou que não é de sua competência verificar se há autorização dos pais quando menores participam de gravações. E mesmo que tivesse tido algum problema relativo a liberação, a apresentadora crê que não houve oposição dos pais de Guilherme, já que eles mantiveram contato com ela depois do programa e participaram da gravação do ‘Esquenta’ de fim de ano no palco, quando faziam retrospectiva da história de Guilherme.

Processo

A ação foi movida na 18ª Vara Cível de Campinas e já houve uma primeira audiência. A próxima será realizada no dia 20 de setembro, no Rio de Janeiro, e Regina Casé já foi convocada para participar. Saiba mais!

Confira também:



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here