MSN

sábado, 13 de julho de 2024

Reynaldo Gianecchini volta a rebater críticas por interpretar drag queen no teatro: “Eu sou um ator”

Ator recebeu comentários negativos por viver a protagonista de 'Priscilla, a Rainha do Deserto'

-

-

Matheus Nunes
Matheus Nunes
Jornalista formado pela UNISUAM (Centro Universitário Augusto Motta) desde 2020. Apaixonado pelo mundo televisivo e tecnológico, atuo na área de entretenimento há dois anos cobrindo reality shows, famosos, televisão e novelas, com passagem pelo Portal EM OFF e Mixturando como repórter. No Área VIP, trago as notícias mais quentes da TV e das celebridades.
Reynaldo Gianecchini (Repordução: Instagram)
Reynaldo Gianecchini (Repordução: Instagram)

No final da tarde desta quarta-feira, 3 de julho, Reynaldo Gianecchini rebateu as críticas que recebeu desde que aceitou o convite para protagonizar Priscilla, ‘A Rainha do Deserto‘ nos teatros. O ator realizou um desabafo no qual abordou os comentários negativos por não ser uma drag queen na vida real, assim como sua personagem.

- Continua após o anúncio -

O famoso começou abordando os comentários positivos que recebeu ao interpretar o líder de seita Matias Cordeiro na série Bom Dia, Verônica: “Um dos últimos personagens que fiz para a Netflix, fiz um abusador, um cara terrível, quase um psicopata. A série foi muito bem recebida, porque levantou várias questões importantes, e recebi muitos comentários positivos sobre meu trabalho e a série”, iniciou ele no feed do Instagram.

+ Reynaldo Gianecchini rebate críticas por viver drag queen em musical 

Adiante, ele comentou sobre seu trabalho em ‘Rainha do Deserto’ e destacou as críticas que vem recebendo: “Agora, no meu trabalho recente, estou fazendo uma drag queen. É claro, tem gente que adora, e que fica maravilhado e curte, mas estou recebendo um monte comentários muito negativos de pessoas que misturam o meu personagem com a vida pessoal”, expressou Reynaldo.

- Continua após o anúncio -

Gianecchini continuou: “Lá, eles destilam todo ódio, sua raiva, seus preconceitos, falam coisas inacreditáveis. Queria falar para essas pessoas: tudo bem ser um psicopata, um abusador não acharam ruim, né? Não confundiram com minha vida pessoal. Mas uma drag queen sim. Muita gente não quer me ver nesse papel, querem me cancelar. Curioso, não é? Psicopata é legal, drag queen não é”, desabafou ele.

+ Reynaldo Gianecchini descobre doença autoimune: “paralisando as mãos” 

- Continua após o anúncio -

O ator falou sobre a importância de fazer personagens como a Priscilla no país: “Você vê por quê nós temos que fazer esses personagens? Tem muito para falar ainda. Esse é o Brasil que a gente vive”, expressou ele, que mandou um recado: “E para quem confunde meu trabalho, meus personagens, com minha vida pessoal, eu digo: eu sou um ator. Eu realmente não ganho a vida fazendo drag queen mas, se essa fosse minha escolha, eu ficaria muito feliz”.

“São pessoas e artistas que admiro, as drags. O que não admiro e jamais quero ser ;e um cara preconceituoso, que dissemina ódio, raiva, que não acolhe, que tem raiva, que não é empático, que não segue a vida de verdade. Isso Deus que me livre”, concluiu Reynaldo Gianecchini.

+ No ‘Encontro’, Reynaldo Gianecchini relembra luta contra câncer: “mudei muito” 

Confira:

- Continua após o anúncio -

Continue por dentro com a gente: Google Notícias , Telegram , Whatsapp

Matheus Nunes
Matheus Nunes
Jornalista formado pela UNISUAM (Centro Universitário Augusto Motta) desde 2020. Apaixonado pelo mundo televisivo e tecnológico, atuo na área de entretenimento há dois anos cobrindo reality shows, famosos, televisão e novelas, com passagem pelo Portal EM OFF e Mixturando como repórter. No Área VIP, trago as notícias mais quentes da TV e das celebridades.