Rômulo Arantes Neto (Globo/João Cotta)
Rômulo Arantes Neto (Globo/João Cotta)

Cheio de trabalhos na dramaturgia, Rômulo Arantes Neto estará em duas produções da Globo. Além de atuar na série Filhos da Pátria, que estreia 8 de outubro, ele entra em Malhação Toda Forma de Amar para abalar.

O ator contou ao Área Vip que recebeu o convite há dois meses do diretor da novela, Adriano Melo. “É um cara que eu gosto muito, já tinha trabalhado com ele rapidamente em uma participação que fiz em outra temporada de Malhação. A gente criou um vínculo muito legal e eu aceitei o convite”, disse o ator, que ficou super feliz de voltar. “Pra mim é uma honra poder voltar pra Malhação onde tudo começou pra mim na TV”, lembrou.

Na trama, ele vai interpretar Rui, ex-namorado de Rita (Alanis Guillen) e possível pai da filha da jovem, e vai disputar a garota com Filipe (Pedro Novaes). “É um personagem que eu descobri de cara que tem uma personalidade dúbia, um cara muito misterioso. Acho que quando ele coloca uma coisa na cabeça ele é capaz de qualquer coisa pra atingir seu objetivo”, define. Rômulo frisou ainda que como novela é uma obra aberta, ele não sabe o que vem pela frente na trama. “Eu to pronto pra tudo”, garante.

A relação com a Rita vai ser cheia de mistérios. “É muito esquisita, conturbada, que aconteceu no passado. Sei que ele teve um passado problemático com algum tipo de droga, mas não sei o que. Mas isso foi um dos motivos do relacionamento acabar, mas não o que de fato culminou no desparecimento dele. E ele volta pra vida dela e ela fica muito tensa com essa aparição do Rui. E ele descobre que ela teve uma filha e começa a querer buscar a verdade. A gente não sabe se a filha é dele, mas é isso que a gente vai descobrir juntos”, adianta o ator.

Rômulo confessa que não estava acompanhando a nova temporada da novelinha teen, mas que assim que recebeu o convite foi se inteirar da história. “Tenho muitos amigos na trama que foi bacana reencontrar”, disse ele, que se sente um veterano da atração. “Tem 12 anos que fiz Malhação. Eu vejo essa energia deles (dos novos atores), inseguranças, está muito bacana ver essa molecada sedenta por informação. Você volta pro mesmo trabalho que você fez há 12 anos, lógico,  através de uma outra perspectiva de assimilação, de observação, mas você sente aquele gostinho e se coloca no lugar (dos iniciantes)”.

Quando foi convidado para a novelinha, Rômulo estava terminando de gravar o  filme ‘Depois a Louca Sou Eu’, com Débora Falabella, e fazendo a segunda temporada de ‘Filhos da Pátria’, que estreia dia 8 de outubro na Globo e no GloboPlay. Na série, ele faz um nadador que por coincidência tem o seu nome, Rômulo. “A produção disse que tinha um problema com o nome e eu disse:’não, vamos manter esse nome que é uma homenagem para o meu avô, que era remador, só que duas décadas depois’. É um remador que entra na história pra salvar o personagem do Johnny (Massaro). É uma participação bem bacana, adorei”, comemora.

Sempre ligado ao esporte, Rômulo conta que voltou a jogar tênis e será obrigado a ficar um tempo afastado do Jiu-jítsu por conta de um torção no dedão da mão. “Eu operei o ligamento e estou com um ferro no dedo. O médico pediu seis meses (de repouso), mas com seis semanas eu vou tirar o ferro que foi colocado no dedo. Depois vou começar a fazer fisioterapia, tudo depende da minha evolução e do meu desempenho com o fisioterapeuta”, conta.

O acidente aconteceu durante um treino normal no jiu-jítsu. “Existem duas posições básicas no jiu-jítsu, quem tá por cima, quer manter o adversário ali pra finalizar e quem tá por baixo quer ‘raspar’. O cara tava querendo me raspar, me colocar pra baixo, que isso ganha ponto. Nessa raspagem eu não queria cair e apoiei a mão e meu dedo tocou no chão primeiro e meu peso foi todo em cima do dedo”, explica.

Se tivesse que começar de novo, Rômulo garante que não faria nada diferente, só começar a fazer terapia mais cedo. “A terapia ajuda em tudo, em relação a exposição (do ator), a saúde mental, o preparo pra vida, te deixa mais inteligente, com mais auto conhecimento, destrava várias coisas. Eu acho que comecei a fazer terapia muito tarde, eu tive tantas coisas na minha adolescência. Eu perdi meu pai, logo depois perdi meu avô, que era uma pessoa muito próxima. E eu era aquele tipo de garoto que achava que poderia segurar tudo sem conversar com ninguém. E isso foi muito ruim pra mim. Terapia ajuda nesse processo pra quem não gosta de falar”, acredita.

Lembranças do Pai

Aos 32 anos, Rômulo recebe com muito carinho todas as lembranças do pai, que era nadador e ator e morreu em um acidente de avião em 2000. “Tem sempre um feedback legal. Pra mim é o maior prazer ouvir falar dele”. Sobre em algum período da carreira, o ator chegou a excluir o sobrenome da família, mas não demorou a voltar atrás. “Foi uma época que eu coloquei na minha cabeça que queria me aprofundar na profissão, tirando todas as minhas máscaras, me conhecendo, com uma independência do mundo, de tudo que me amarrava eu queria cortar todos os cordões umbilicais. A Cabala também falava sobre isso, o espiritismo também, sobre karma no nome, aí eu tirei o Arantes e fiquei só com o Neto. Depois eu voltei atrás. É o nome da minha família, não tem como negar, vou sempre ser Arantes”, conta.

Veja também:

Glória Pires fala da construção de Lola na nova versão de ‘Éramos Seis’, próxima trama da Globo



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here