Após o forte acidente no treino classificatório para o GP da Hungria de Fórmula 1 e passar toda a madrugada de domingo em coma induzido, Felipe Massa está dando respostas leves, porém significativas aos médicos no Hospital Militar de Budapeste, capital húngara, informa o site do Globo Esporte. A tomografia a que o piloto foi submetido apontou que os edemas diminuíram. O brasileiro continua sedado e, periodicamente, é submetido a exames radiológicos e clínicos. Será assim nas próximas 48 horas. Clique ao lado e confira as notícias, direto da porta do hospital militar de Budapeste.

De acordo com Peter Bazso, chefe geral do Hospital Militar de Budapeste, não foi constatada qualquer nova lesão neurológica. Ele, porém, disse que o brasileiro corre risco de morte. No entanto, Dino Altmann, médico responsável pelo GP do Brasil, que viajou à Hungria, discorda. Segundo ele, a situação é grave, mas não há risco iminente.

– É uma situação grave, mas risco iminente de morte… acho que não. O neurologista me contou que houve uma melhora e as coisas estão evoluindo de uma forma positiva. Neste momento, a situação toda é grave e séria, mas as lesões por si só não são sérias. Ele tem um pouco de edema, mas não tem hematoma ou lesão do tecido nervoso do cérebro. O olho não foi afetado, mas o osso que envolve o olho sofreu uma fratura que não deve trazer qualquer problema para a visão dele – diz Dino Altmann.

Após a tomografia, Felipe Massa foi sedado novamente, para continuar descansando e passará por nova avaliação dos médicos a cada 48 horas. Ao ser perguntado se o brasileiro reconheceu a família, o chefe geral informou que ele foi acordado para a chegada da família, mas disse que não entraria em detalhes sobre o assunto.

Esposa do piloto, Raffaela Massa, grávida de cinco meses, chegou a Budapeste neste domingo, acompanhada pelos pais de Felipe, Ana e Luis Antonio, e por Dino Altmann, médico responsável pelo GP do Brasil de Fórmula 1.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here