O empresário e ex-jogador de futebol Raí é o convidado do próximo Irritando Fernanda Young, que reapresenta as melhores entrevistas de 2009. Fernanda Young aborda o sucesso do jogador aliado à beleza, o passado nos campos e o trabalho que desenvolve hoje em dia na ONG Atletas pela Cidadania. O entrevistado ainda dá sua opinião sobre homossexualismo entre atletas do futebol.

Fernanda quer saber por que o futebol não admite a existência de jogadores gays. E Raí concorda: “A sociedade em si já é machista. O futebol é mais machista ainda. Então existe um preconceito muito grande. A gente sempre ouve falar de caras que assumem e são rejeitados. Espero que mude porque eu acho uma hipocrisia”.

A apresentadora comenta que o convidado tem uma característica incomum no meio: a beleza. E ele explica que até se tornar jogador, nem era considerado bonito. À medida que ganhou corpo e notoriedade com os treinamentos, a dimensão de sua beleza começou a ter repercussão.

Atualmente, Raí é pai de três mulheres e avô de uma. E adora estar rodeado pelo sexo feminino: ‘Se eu tivesse que escolher o sexo dos meus filhos, eu escolheria mulher. Afastado dos campos, faz parte da ONG ‘Atletas pela Cidadania’, que reúne esportistas de várias modalidades e gerações. A organização trabalha, entre outras coisas, em prol da Lei do Aprendiz, que garante vagas profissionais a jovens aprendizes em pequenas e médias empresas.

Sobre o futebol de hoje, Raí considera que os jogadores são menos baderneiros, por ser difícil conciliar farra e bom desempenho: ‘Quando um cara consegue ser baderneiro e ter expressão, ele é realmente muito acima da média, é um craque. A exigência física é tão grande que não cabe’. Fernanda Young pergunta a opinião de Raí sobre Ronaldo. Os dois concordam que, apesar da imagem desgastada por conta dos escândalos da vida pessoal, o jogador é um craque.
Tido como bom moço até no esporte, o ex-jogador afirma que seria mais ousado em campo se pudesse voltar atrás. ‘Sempre fui muito responsável taticamente, de pensar no time. No lado prático, é a comparação que fazem entre mim e o Sócrates (irmão de Raí). O Sócrates sempre foi mais genial do que eu, mas ele nem tem tanto mais técnica. Mas como eu era um cara mais responsável dentro de campo, não ousava tanto e a minha técnica não aparecia’.

Fernanda pergunta se Raí já fez algum gol trapaceando: ‘Se eu tentei burlar, não foi gol’, ele responde. Com apenas dois cartões vermelhos em toda a carreira, Raí diferencia a agressividade do esporte da deslealdade: “O futebol te dá muita possibilidade de despejar sua agressividade. E eu despejava tudo no campo. Você não precisa ser desleal para ser agressivo. Principalmente quando faz parte da regra. Faz parte do jogo. É uma agressividade saudável. A apresentadora, então, pergunta se ele quer aproveitar o meio para esculhambar”alguém. ‘Quem sou eu para esculhambar alguém?’, o convidado retribui a pergunta.

O Irritando Fernanda Young vai ao ar aos domingos, a meia-noite, no GNT. Horários alternativos: domingo, às 5h30; terça, às 22h; quarta, às 9h30; sexta, às 10h.






DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here