Foto: Divulgação/ TV Record

Os grandes musicais, os primeiros infantis da tevê brasileira, os humorísticos e especialmente as mulheres que fizeram (e fazem) a história da emissora são temas do terceiro programa comemorativo dos 50 anos da Record, que vai ao ar neste sábado (05), às 22h15. Entre os convidados, que ajudaram a  recompor o painel histórico de uma época, estão a apresentadora Hebe Camargo e o humorista Jô Soares.   A orquestra ataca grandiosa. É a deixa para Adriane Galisteu receber a grande dama da tevê brasileira, Hebe Camargo. Espirituosa e divertida como sempre, Hebe dá um show de alegria e elegância, lembrando de seus bons tempos na Record, onde  atuou como apresentadora de programas, humorista, atriz e cantora. Provando que continua afinadíssima, Hebe interpretou, ao vivo, o clássico de Dolores Duran, "A Noite do Meu Bem". De quebra, ainda assistiu ao vídeo em que entrevista o Dr. Barnard, primeiro médico a realizar um transplante de coração. Com a entrada em cena de Agnaldo Rayol, o papo a três ficou animado. Rayol e Hebe lembraram do filme de Mazzaropi, Zé do Periquito, no qual trabalharam juntos. Hebe deu detalhes do figurino que usou na época e ele não perdeu da memória o decote da companheira de cena. Ao final do bloco, Rayol interpretou A Praia.   O terceiro especial mostra como eram os programas infantis do passado. Quem divide com Adriane Galisteu a apresentação dos blocos dedicados à garotada é ela, a lourinha da Record, Eliana, que canta "O Circo", acompanhada de um colorido corpo de baile. Nos vts, a memória de um tempo em que a crianças se divertiam com o Ginkana Kibon, com o Circo do Arrelia, com as aventuras do Capitão 7 – o primeiro super-herói brasileiro -, encarnado por Ayres Campos, que contracenava com Idalina de Oliveira, ambos presentes no programa. E mais: um emocionante depoimento do palhaço Arrelia, hoje com 97 anos; acrobacias com o Negro Gato; vídeo com um pot-pourri de imagens de todos os infantis da emissora. Nos musicais, a dupla Chiquinho e Pitoco canta "Como vai, como vai?", e Juliana Pantalena interpreta Aquarela.   Claudete Troiano faz dupla com Adriane na apresentação do quarto bloco, totalmente dedicado às mulheres que enriqueceram com talento e beleza a história da emissora. Nos vts, todas as estrelas da Record, de ontem e de hoje. Da música, como Elis Regina, Wanderléa, Elizeth Cardoso; as garotas propaganda que marcaram época como Idalina de Oliveira; as impagáveis humoristas Hebe Camargo, Zilda Cardoso, Nair Belo, Renata Fronzi e Cidinha Campos. Homenageando o talento feminino, Toni Garrido canta Super Homem, de Gilberto Gil, e Fafá de Belém, "Maria, Maria", de Milton Nascimento e Fernando Brant.   O humor dá o tom do último bloco do terceiro Record 50 Anos. O convidado especial é Jô Soares, que lembrou de seu começo de carreira, quando interpretava Gordon, o amalucado mordomo da Família Trapo. Além de conversar com Adriane e arrancar gargalhadas do público, Jô curtiu rever em vídeo, durante a gravação do programa, imagens do arquivo da Record e revelou engraçadas lembranças. "Era interessante trabalhar com Ronald Golias, pois ele sempre teve como regra contracenar falando com seu interlocutor olhando para a direita. Então, para irritá-lo, eu sempre passava por trás dele e ia para o lado contrário, obrigando-o a voltar e assim atravessávamos o palco", contou divertido. Nos musicais, várias homenagens, como a interpretação emocionada de Zizi Possi para Canção de Amor, sucesso imortalizado por Elizeth Cardoso. O carioca Luís Melodia saudou o conterrâneo Monsueto cantando "Mora na Filosofia" e "A Fonte Secou". E os paulistas do Premeditando o Breque reverenciaram o símbolo máximo da musicalidade do Bixiga, Adoniram Barbosa, levando toda a platéia a cantar "Trem das Onze" e "Saudosa Maloca". O especial Record 50 anos tem a direção assinada por Vagner Matrone e vai ao ar neste sábado (05) às 22h15.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here