MSN

segunda-feira, 15 de julho de 2024

Análise: SBT mostra poder de criação e inova em sua versão de ‘O Picapau Amarelo’

Série baseada na obra de Monteiro Lobato, estreou no novo streaming do canal, o +SBT

-

-

Fernando Melo
Fernando Melo
Colunista sobre o mundo da TV, celebridades, influencers e personalidades da mídia em geral, atuante no segmento desde 2012, com passagens por diversos sites. No Área VIP, além de colunista, é coordenador de redação.
O Picapau Amarelo
O Picapau Amarelo – Foto: SBT

Não temos dúvidas de que a direção atual do SBT anda investindo pesado em novos conteúdos, seja para a TV aberta ou seus canais digitais. Nesta semana, estreou na plataforma de streaming da emissora, o +SBT, a série ‘O Picapau Amarelo‘, obra baseada no formato de ‘O Sítio do Picapau Amarelo’ do saudoso Monteiro Lobato.

- Continua após o anúncio -

Esta coluna assistiu ao primeiro episódio da série infanto-juvenil depois da repercussão dos internautas sobre o projeto no X (antigo Twitter). Nos primeiros minutos, claro, achei muito estranho e diferente daquele ‘Sitio do Picaupau Amarelo’ que assistir durante a infância na TV Globo. Mas, logo entendi o propósito do formato feito pelo SBT.

+ SBT decreta data de estreia da próxima novela mexicana em suas tardes

O novo formato da obra de Monteiro Lobato mostra o poder de criação do SBT em tentar levar a geração Z ao imaginário, ainda, dando a oportunidade da criançada aprender coisas básicas da ciência com o Visconde de Sabugosa, assim mostrado no primeiro episódio da série.

- Continua após o anúncio -

A ideia do canal, em si, é estimular a curiosidade das crianças, além delas poderem ver às deliciosas receitas da tia Nastácia, aprendendo e brincando ainda com os contos de Dona Benta. A simplicidade do projeto também chama atenção e mostra que não foi preciso de muita grana para elaborar a nova versão do clássico.

O Picapau Amarelo do SBT é bom?

De uma coisa tenho certeza, o clássico adaptado pelo canal de Silvio Santos para a sua nova plataforma digital é muito boa, mas não para aqueles que assistiram o ‘verdadeiro Sítio’ na Globo. Este formato é interessante para a atual geração e a prova disso é que ao assistir o mesmo, fiz isso com meu sobrinho, e ele amou.

- Continua após o anúncio -

+ SBT bate o martelo e confirma mudança no ‘Fofocalizando’

Comparações com o Sítio do Picapau Amarelo da TV Globo vão existir? Claro! Mas, não podemos comparar duas obras de emissoras diferentes. Aliás, o Sítio do passado ficou no passado e em nossas memórias, hoje, é nítido que os conteúdos daquele período precisam de adaptações para esta nova geração que fica presa em telas quase que 24h no dia.

Vale a pena a pena exibir na TV aberta?

Ainda é cedo para afirmar que a série deve ser exibida na programação da TV aberta do canal de Silvio, já que apenas o primeiro episódio foi divulgado. Mas, caso siga o mesmo enredo criativo, eu apostaria em exibi-lo nas manhãs de sábado.

Ponto positivo

O projeto além de ser direto no que quer apresentar, mostra agilidade nas histórias apresentadas e conta com a participação de todos do elenco. O primeiro episódio ainda conta com um musical da Tia Nastácia, algo bem diferente e encantador.

+ SBT surpreende e lança nova versão do Sítio do Picapau Amarelo

Aliás, Emília (Débora Gomez), Visconde (Hugo Carvalho), Narizinho (Marianna Santos), Pedrinho (Felipe Lago), Tia Nastácia (Bibba Chuqui), Dona Benta (Patrícia Mayo), Rabicó (Adilson de Carvalho) e demais elenco e produção, estão de parabéns pela boa desenvoltura do projeto em frente e por trás das câmeras.

Por fim, ‘O Picapau Amarelo’ deve ser visto pela criançada de todo o país e em nota, a nova versão do clássico de Lobato, merece nada mais e nada menos do que um 10 recheada de aplausos!

**As críticas e análises aqui expostas correspondem a opinião de seus autores

Assista ao primeiro episódio:

- Continua após o anúncio -

Continue por dentro com a gente: Google Notícias , Telegram , Whatsapp

Fernando Melo
Fernando Melo
Colunista sobre o mundo da TV, celebridades, influencers e personalidades da mídia em geral, atuante no segmento desde 2012, com passagens por diversos sites. No Área VIP, além de colunista, é coordenador de redação.