Alinne Moraes com fãs – AgNews/Daniel Delmiro

A atriz Alinne Moraes mostrou que sabe como tratar seus fãs. Ontem (9), a artista atendeu os admiradores no bairro do Leblon, distribuindo abraços e fotos.

+Alinne Moraes curte shopping com o filho e o marido

Alinne se prepara para voltar às telinhas em breve, inclusive ao lado do ex-namorado Cauã Reymond. Segundo a coluna de Patrícia Kogut, os atores estarão juntos em ‘Em Seu Lugar’, trama das 21h que estreia no ano quem no segundo semestre. 

+Marido de Alinne Moraes é chamado de feio e detona seguidor

Mas, como será que Alinne vem se preparando para o reencontro com Cauã? Segundo a própria, tudo está numa boa. Em entrevista ao Jornal O Globo, a atriz revelou mais detalhes sobre o próximo trabalho ao lado do ex-namorado. “Meu marido (o diretor Mauro Lima) perguntou se eu ficaria incomodada se escalasse o Cauã para o filme ‘Tim Maia’ (2014) pra contracenar comigo. Falei: claro que não. Conheço o Cauã desde os 14 anos. Entramos na escola de atuação na mesma época. Vou retomar uma novela das 21h que demanda esforço, com um filho (Pedro Lima) de quase 6 anos. Vai ser ótimo ter o Cauã ao meu lado para usarmos nossa história a nosso favor e, assim, contar uma história bonita na televisão”, disse.

+Com o fim da novela, João Vicente de Castro se declara para Alinne Moraes: Você é gigante

Durante o papo, a artista ainda relembrou de um momento marcante em sua vida, quando conheceu seu pai aos 21 anos e, meses depois, ele faleceu. “Ele ligou para Globo, que me avisou. Não quis ligar de volta, mas pedi o endereço dele. Queria vê-lo. Num sábado, entrei na casa dele. Cauã (Reymond) ficou esperando na sala. Entrei no quarto. É louco, porque você fica diante de um desconhecido, sem afinidade alguma. Disse pra ele que não ter pai era como nascer sem um braço. Nós nos abraçamos e ficamos ali um tempo. Chorei. Não queria sair do abraço, porque tinha medo de cair no abismo que se abriria em seguida: não saberia o que falar, para onde olhar e o que sentir. Então olhei pra mão dele. Sempre quis conhecer a mão do meu pai. Seis meses depois ele morreu.”



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here