Gabriel Braga Nunes (Globo / João Cotta)
Gabriel Braga Nunes (Globo / João Cotta)

Animado com a repercussão de ‘Se Eu Fechar os Olhos Agora‘, Gabriel Braga Nunes está ansioso para ver a resposta do público, da minissérie que estreou ontem (15) na Globo.

O ator encheu de elogios Ricardo Linhares, que adaptou a série baseada no livro homônimo de Edney Silvestre. Na trama, ele é Geraldo Bastos, uma das figuras poderosas da fictícia cidade de São Miguel. O personagem é casado com Adalgisa (Mariana Ximenes).

Confira o Perfil dos Personagens da nova minissérie da Globo, Se eu Fechar os Olhos Agora

Longe das novelas desde ‘Novo Mundo’, em 2017, o ator, que também estará na série Hebe, sobre a vida da apresentadora que morreu 2012, prevista para estrear em 2020. Ele está gostando de se dedicar a trabalhos mais curtos para ter mais tempo para investir na banda de rock Hurry Canes. Em conversa com o Área Vip, Gabriel falou um pouco da dobradinha entre a dramaturgia e a música.

Confira:

O que você pode falar sobre esse trabalho?

É uma série que a gente fez, já tem um tempinho que a gente gravou, mas foi muito legal. Especialmente o período que a gente passou em Minas Gerais, a gente ficou muito próximo, muito amigos. A série é muito boa, um suspense muito bem escrito, diálogos incríveis, personagens incríveis, foi uma alegria fazer.

Você já tinha lido o livro antes de ser convidado para a minissérie?

Eu li o livro na época da nossa preparação para a série. É uma história incrível.

Fala um pouco sobre o  seu personagem.

O Geraldo é o homem que dá emprego na região. Então é um cara muito influente, muito poderoso.  Em geral o cara do emprego é o cara que manda, né? É um cara que tem uma influência grande, até sobre os políticos da região. Tanto que quando começa acontecer coisas estranhas naquela cidade, muitas suspeitas recaem sobre ele.

Como é gravar uma história que você já sabe como será o final, diferente da novela que é uma obra aberta?

É mais parecido com filme, com cinema.

E esperar esse tempo todo pra assistir, dá ansiedade?

Dá. Se bem que a gente já tinha visto muita coisa. A gente ficou muito próximo dos diretores gravando e tínhamos visto na revisão de cena e tal. Mas sim, fica uma expectativa pra ver o resultado montado, com trilha e tudo.

Teve alguma dificuldade no processo?

Eu tive uma super dificuldade porque a gente passou um calor horrível nas locações no Rio de Janeiro. A gente gravou num verão horrível aqui no Rio. O verão no Rio de Janeiro ficou uma coisa impossível, eu to morando em São Paulo agora. Eu lembro que a gente passou um verão gravando, nem lembro onde, mas foi dureza mesmo. Agora, especificamente sobre o personagem, é porque ele tem um lado atormentado. Ele é um homem bem sucedido, de boa aparência, super bem de vida, mas tem um lado atormentado. A dificuldade foi encontrar esse lado atormentado dele na relação com a Adalgisa (Mariana Ximenes).

É um casal que vive de aparências?

Não, eles são felizes, mas eles têm ali um buraco negro.

Você ficou surpreso com o texto do Ricardo Linhares depois de ler o livro?

Surpreso não, já fiz vários trabalhos com o Ricardo e sei da qualidade da escrita dele. Um homem de diálogos fabulosos. Pra minha alegria recebi esse convite e pude fazer mais um, acho que é o quinto ou sexto trabalho com ele.

Além da minissérie, você tem outros projetos?

Eu acabei de gravar o seriado sobre a vida da Hebe (Camargo). Eu faço o Décio Capuano, o primeiro marido dela. O pai do Marcelo. Foi uma alegria porque no início da carreira eu fui entrevistado pela Hebe duas vezes, quando eu fiz SBT nos anos 90. Eu adorava o programa dela.

E você está gostando desce crescimento no mercado de séries?

Estou adorando, em 2018 eu fiz duas séries. Achei super legal, até porque sobrou tempo pra eu fazer minha banda de rock.

Conta pra gente essa novidade.

Uma banda de rock super legal lá em São Paulo. Toda semana tem show. Lá no meu Instagram eu posto bastante material sobre a banda. Eu sou guitarrista e canto também. Só que nessa banda eu estou tocando baixo e fazendo alguns vocais. São Paulo tem um mercado de rock muito maior do que aqui no Rio. São várias casas que recebem as bandas com cachê. É um mercado maravilhoso. Eu não, mas os outros caras da banda vivem de rock.

Você aceitaria participar de um reality show tipo Pop Star?

Eu não sou muito bom de programa. Eu sou mais bom de set, de palco, então não sei se tem muito a ver comigo.

Veja também:

Resumos de “Se eu Fechar os Olhos Agora” – Semana de 15/04 a 20/04



2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here