Jeniffer Nascimento / Instagram

Colecionando trabalhos na Globo, Jeniffer Nascimento se despede de ‘Verão 90’ e engata como uma das novas integrantes do ‘The Voice Brasil’. A atriz, que venceu o ‘Popstar’, diz que o concurso foi um divisor de águas em sua carreira.

Além de continuar investindo na dramaturgia, Jeniffer também está a todo vapor como cantora. Além de gravar uma participação no álbum de Jorge Vercillo, ela também canta no novo DVD de Péricles.

Em entrevista ao Área Vip, a artista falou da vida de casada, da felicidade plena na carreira e de novos projetos.

A novela tá na reta final e agora você vai estar no The Voice, como você está se sentindo?

Tô muito feliz com o convite, na verdade apresentar sempre foi uma vontade minha. Minha vontade de ser artista começou porque eu ficava imitando a Xuxa, apresentando o programa na frente do espelho. Então, sempre tive essa vontade e fiquei muito feliz quando a casa me fez esse convite, principalmente por ser o The Voice, acho que é um programa que tem tudo a ver comigo, sempre acompanhei todas as edições do programa, música também faz parte da minha vida, então, eu entendo bem do assunto. Eu sei o que é estar do outro lado, concorrendo, a expectativa das famílias. Eu sei que vai ser uma troca muito positiva.

Você acha que o convite surgiu porque você foi um sucesso em Popstar?

Sem sombra de dúvidas. O Popstar com certeza foi um divisor de águas na minha carreira também. Apesar de eu ter vindo do teatro musical, o reconhecimento veio das novelas e muita gente não sabia que eu cantava, que eu tinha essa afinidade com a música. O programa me abriu essa porta. Acho que me deu a oportunidade também de mostrar quem é a Jeniffer. Antes de Popstar eu era parada na rua e era chamada de Sol (de Malhação), era chamada de Tânia (de Pega Pega). Hoje, me chamam de Jeniffer, sabem quem eu sou, de onde venho, os meus sonhos, os meus valores.

E fala um pouco como foi fazer a Kika em Verão 90

Eu adorei a Kika, eu acho que foi um personagem muito pertinente pra esse momento da minha vida. Ela não foi um personagem muito grande, mas ela teve momentos pontuais e coisas legais como, por exemplo, virar a cantora mascarada. Acho que foi essencial, porque se não fosse isso eu não teria dado conta de conciliar com Popstar, mudar de casa, fazer dois casamentos e ainda estar na novela.

Teve algo que você não gostou na Kika?

Não. Muito pelo contrário. Achei ela uma personagem super independente, gostei muito do convite. Um convite que surgiu pelo meu trabalho de atriz sem nenhum estereótipo, um trabalho que poderia ser feito por qualquer atriz. Não tinha escrito  ‘uma mulher preta’ na sinopse. Então, ser pensada como atriz nesse lugar pra mim já é um passo muito grande. A primeira personagem que eu fiz sem precisar ter um par romântico. Eu vejo muitos saldos positivos na personagem.

E como foi contracenar com o Humberto (Martins) e a Isabelle (Drummond)?

A Isabelle virou minha ‘bebest’, a gente se chama ‘bebest’ nos bastidores e acabou ficando na novela. Ela é muito querida, muito talentosa, eu amo o trabalho da Belle desde que eu acompanho ela nas novelas. Foi uma aula pra mim trabalhar com ela, um ser humano super do bem. O Humberto também, pena que ele nos deixou , mas foi uma troca super positiva.

A música tem estado muito presente na sua vida, você pensa em se dedicar mais nesse segmento?

Desde que eu ganhei o Popstar, eu decidi não deixar mais a música só como segundo plano. Eu sempre cantei, mas sempre deixei a carreira na música de lado. Então, desde o início desse ano eu não tenho feito mais isso. Eu preparei o meu show, fiz o meu show aqui no Rio de Janeiro, fiz em São Paulo. A gente continua ensaiando, meu objetivo esse ano é fazer show corporativo. Vou tentar conciliar com as gravações do programa, que vai até outubro, eu acredito que seja possível. E estou fazendo parcerias musicais. Gravei uma música com o Jorge Vercilo pro álbum dele, vou lançar duas músicas em parceria com o Péricles. Não foquei em gravar o meu álbum ainda, mas eu quero gravar pelo menos um single pra lançar ainda esse ano.

Então a música vai ser sua prioridade agora?

Também, mas não só a música. Acho que agora os dois estão andando juntos. Eu to me dedicando mais pra conseguir conciliar as duas carreiras.

Você é muito carinhosa com os fãs. Como é isso na sua cabeça?

Essa minha relação com os fãs vem muito porque eu sempre fui muito fã, eu sempre fui aquela fã de fazer cartaz, ir pra grade no show. Então, eu sei o quanto é especial esse contato. E que as vezes é o único que você tem na vida com uma pessoa. Eu sempre procuro tomar muito esse cuidado. Lógico que tem momentos difíceis, quando invade a privacidade. Às vezes eu estou almoçando e a pessoa tira uma foto. Prefiro que ela peça pra tirar a foto e não faça esse gesto invasivo. Mas eu tenho muita gratidão com os fãs e tenho muito cuidado, mesmo quando eu não estou num bom dia.

De quem você era fã?

Eu era muito fã da Xuxa, de fazer cartaz. Eu tenho uma história muito engraçada. A Xuxa me deu a mão em um show quando eu era criança. Eu fiquei três dias sem lavar essa mão, tomava banho com um saco enrolado na mão pra não tirar o cheiro dela. Minha mãe era fã do Daniel, tinha carteirinha do fã clube, todo final de ano eu ia com ela na estância do Daniel. Anos depois eu participei de um DVD do Daniel. Então, eu sempre estive ali nesse meio, por isso eu valorizo cada um que gasta seu tempinho pra tirar uma foto.

E como está a vida de casada no meio de tanto trabalho?

Na verdade, pra mim eu já era casada, a gente mora junto há quatro anos, desde o final de Malhação. Eu quis celebrar, realizar um sonho que eu sempre tive de casar. Então, tá tudo muito lindo. É uma pena que passa tão rápido (a cerimônia), a gente demora tanto tempo pra organizar e de repente vem um flash. A gente está esperando pra ver quando a gente consegue ir para a lua de mel.

Veja também: 



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here