Luiz Gasparetto/Facebook
Luiz Gasparetto/Facebook

Morreu nesta quinta-feira (3), aos 68 anos, o apresentador e espiritualista Luiz Gasparetto. Ele que estava internado na UTI do Hospital São Luís em São Paulo, não resistiu a luta contra um câncer no pulmão.

Inclusive, ele estava internado no mesmo hospital que sua mãe a escritora Zíbia Gasparetto, que enfrenta a mesma doença do filho, um câncer, localizado no estômago.

Em seu Perfil do Facebook, foi postado uma mensagem: “Luiz Gasparetto, o homem que deixa na Terra, seu legado de espiritualidade. 

Foram mais de 30 livros publicados, milhares de palestras em diversas cidades do mundo, muitas vidas e corações tocados por seus ensinamentos, e ele gostaria que você se lembrasse de que, melhorar o mundo, começa com a melhora de si mesmo. Faça acontecer! 

No mundo espiritual, tudo tem começo e meio. O fim só existe, para quem não percebe o recomeço. Nosso espírito é eterno.

Feliz recomeço, Gaspa!

Luiz Gasparetto, o homem que deixa na Terra, seu legado de espiritualidade. Foram mais de 30 livros publicados,…

Posted by Luiz Gasparetto on Thursday, May 3, 2018

Luiz Gasparetto, apresentou entre os anos de 2005 e 2008, na RedeTV!, o programa “Encontro Marcado“. Também comandou por muitos anos um programa na Rádio Mundial.

Revelação da doença

Luiz Gasparetto - Reprodução/Facebook
Luiz Gasparetto – Reprodução/Facebook

Em Fevereiro deste ano, Gasparetto postou um vídeo em sua rede social para falar a doença: “Não estou triste nem abatido. Estou diagnosticado fisicamente com câncer no pulmão. Não tenho medo de morrer porque convivo com fantasmas o dia inteiro, como vou ter medo de morrer? A única coisa é a escuridão que me apareceu tão forte e me desafia. Muda tudo. Você reavalia tudo: a comida, como as pessoas agem, meu trabalho, meu amanhã”, disse ele.

O apresentador ainda falou que para aliviar as dores, tomava morfina. “Morrer não significa que essa escuridão não vai seguir comigo. Morrer não é a solução. Deixei de alguma forma minha ignorância penetrar em mim um ressentimento, por exemplo. Não tanto com pessoas, mas com a vida”, continuou ele….Confira o vídeo!

Veja também:

Agildo Ribeiro morre aos 86 anos



34 COMENTÁRIOS

  1. Ah naoooooo mais já ajudaram tantas pessoas em momentos q se via perdidas eu sou uma q mudei mnha visão sobre mtas coisas principalmente amor próprio q em sua viagem sua estrada seja repleta de flores e borboletas tornando sua viagem lindaaaa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here