Deborah Secco/Instagram
Deborah Secco/Instagram

Vários famosos estão consternados com a violência contra a mulher. Sempre discutindo temas atuais em suas obras, Walcyr Carrasco usou as redes sociais para lamentar.

12 anos da Lei Maria da Penha. Apesar dos dados estatísticos que mostram a nossa triste realidade, continuamos a falar e denunciar todo e qualquer ato de violência contra as mulheres. Falei do assunto na minha última novela”, escreveu o autor se referindo ao personagem de Clara (Bianca Bin) em O Outro Lado do Paraíso.

Alguns seguidores comentaram o post. “Muito triste. Já passei por violência física e psicológica e só que passa sabe como dói. As mulheres precisam de ajuda para que tenham a chance de virar o e ter uma vida nova como eu tenho hoje”, “Chega a ser patético alguns dilemas da nossa sociedade, em pleno século XXI. Lastimável”, foram alguns comentários recebidos

Deborah Secco alerta seguidores

A atriz Deborah Secco foi mais longe e e compartilhou um vídeo com diversas reportagens sobre as últimas mulheres que foram vítimas recentemente.

Você deve ter visto bastante coisa sobre feminicídio, esse crime hediondo que está nos noticiários. Talvez você esteja se perguntando: mas afinal, se homicídio já é crime, porque um termo para a morte dessas mulheres? Vamos conversar. Observe todos os casos que vieram à tona nos últimos dia e veja que forma cometidos por homens que se valeram da sua posição como marido, namorado ou ex para tirar a vida de uma mulher”, explicou a atriz.

Depois de fazer um grande relato sobre o assunto, Deborah salientou a importância de a a sociedade estar alerta para ajudar essas vítimas da violência doméstica. “Todo assassinato é um crime horrível e deve ser punido, quanto a isso não há discussão. E a tipificação do crime de feminicídio, assim como outros termos e agravantes, é uma forma de diagnosticar esse tipo de violência para criarmos meios de estancar essas mortes. E lembre-se: denuncie a violência doméstica. Não seja aquele que não mete a colher”,  escreveu, publicando a hastag Disque 180, número para denúncias.

Veja:

View this post on Instagram

Você deve ter visto bastante coisa sobre feminicídio, esse crime hediondo que está nos noticiários. Talvez você esteja se perguntando: mas afinal, se homicídio já é crime, porque um termo apenas para a morte dessas mulheres? Vamos conversar. Observe todos os casos que vieram à tona nos últimos dias e veja que foram cometidos por homens que se valeram da sua posição como marido, namorado ou ex para tirar a vida de uma mulher. Falamos em feminicídio quando o homem se aproveita de uma situação de vulnerabilidade da sua companheira. É o último e catastrófico capítulo de um relacionamento abusivo. Para termos ideia da gravidade do problema, são doze brasileiras assassinadas todos os dias nessas condições. Quando trazemos o termo “Feminicídio” para ser discutido, estamos jogando luz sobre o perigo dessas relações e alertando nossas amigas, mães, irmãs e todas as mulheres que podem estar nesse tipo de situação. Todo assassinato é um crime horrível e deve ser punido, quanto a isso não há discussão. E a tipificação do crime de feminicídio, assim como outros termos e agravantes, é uma forma de diagnosticar esse tipo de violência para criarmos meios de estancar essas mortes. E lembre-se: denuncie a violência doméstica. Não seja aquele que não mete a colher. #Feminicidio #NemUmaAMenos #Disque180

A post shared by Deborah Secco (@dedesecco) on

Veja também:

Luana Piovani relembra agressão de Dado Dolabella – Confira o vídeo!

Colaborou: Núcia Ferreira



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here