O ator e comediante Jorge Dória faleceu às 15h05 de quarta-feira (6), por complicações cardiorrespiratórias e renais, aos 92 anos. Ele estava internado desde 27 de setembro no Hospital Barra D’Or, na zona oeste do Rio de Janeiro, quando deu entrada com quadro de pneumonia. O sepultamento acontece hoje às 16h, no Memorial do Carmo.

Relembre a trajetória do ator:

Jorge Pires Ferreira nasceu em 12 de dezembro de 1920, na cidade do Rio de Janeiro. De família tradicional carioca, formado pelo Colégio Militar, surpreendeu a todos quando, com pouco mais de 20 anos, abandonou o emprego estável para seguir a carreira artística. Com mais de 60 anos dedicados aos palcos do cinema, do teatro e aos estúdios da TV, Jorge Dória tinha um raro talento para o humor e, como marca registrada de sua carreira, os “cacos”, improvisos criados sobre o texto original.

Fez sua estreia no teatro na década de 40, trabalhando na companhia de Eva Todor e Luis Iglesias, alternando atuações como comediante e ator dramático. Participou de mais de 60 espetáculos como “Procura-se uma Rosa”, “Escola de Mulheres”, “O Avarento”, “A Morte do Caixeiro Viajante” e “A Gaiola das Loucas”, este um dos maiores sucessos do teatro de comédia no Brasil.

O começo no cinema foi em um papel coadjuvante no longa “Mãe” (1948), tendo atuado posteriormente em mais de 45 filmes como “Assalto ao Trem Pagador” (1962), “O Beijo” (1965), “Pedro Mico” (1985) e “O Homem do Ano” (2002).

Mas foi a televisão que catapultou Jorge Dória para o sucesso nacional. Depois de uma temporada na TV Tupi, Dória viveu o impagável Lineu na primeira versão de ‘A Grande Família’ (1973). Na TV, brilhou em novelas como ‘O Noviço’ (em 1975), ‘O Pulo do Gato’ (1978), ‘Champagne’ (1983), ‘Brega e Chique’ (1987), ‘Meu Bem, Meu Mal’ (1990) e em ‘Que Rei Sou Eu?’ (1989), onde deu vida a um de seus papeis de maior sucesso: o Conselheiro Vanoli.

Considerado um dos maiores comediantes brasileiros, participou também de seriados e programas humorísticos da Globo como ‘Sai de Baixo’ e ‘Os Normais’. No início dos anos 2000, foi convidado para integrar o elenco do ‘Zorra Total’, onde viveu um pai machão desgostoso com o filho homossexual, interpretado por Lucio Mauro Filho. O sucesso fez o bordão “onde foi que eu errei?” cair na boca do povo. Em 2005, precisou se afastar do programa por problemas de saúde, decorrentes de um acidente vascular cerebral.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here