O responsável pela mais recente crise que levou ao término, mais uma vez, do relacionamento de Adriano Imperador e Joana Machado, chamasse Jorge Luís Fernandes, policial civil exonerado depois de ser condenado, em janeiro de 2009, por participação na máfia dos caça-níqueis. Joana se envolveu com Jorginho, como é conhecido, no penúltimo término da relação, informa a coluna Retratos da Vida do jornal Extra. O relacionamento foi longo e intenso.

Foi graças à influência de Jorginho no Salgueiro que Joana Machado seria uma das musas da escola no último carnaval. Como em dezembro Joana voltou para Adriano (e ficou noiva do jogador), Jorginho foi colocado de lado e decidiu destituí-la do cargo na escola de samba. O término da relação do ex-policial com a personal aconteceu de maneira escandalosa em uma rua da Tijuca.

Adriano não descobriu nenhuma traição de Joana com Jorginho. No entanto, ele não sabia que ela havia se relacionado com ele tão intensamente. E este foi motivo suficiente para mais um fim desta frágil relação. Essa é a sexta vez que Joana e Adriano terminam.

E, mais uma vez, Joana saiu da casa do craque com as mãos abanando. Mas a loura saiu decidida a lucrar com o fim do relacionamento. Ela passou a tarde de ontem atrás do telefone de Edson Aran, diretor de redação da “Playboy”, para tentar um possível ensaio como veio ao mundo para a capa da edição de junho, mês da Copa do Mundo.

Alexandre Lopes, advogado de Jorge Luiz Fernandes, ligou para a coluna para negar que o ex-policial tenha sido o pivô da separação de Adriano Imperador e Joana Machado. Segundo o advoagdo, a notícia “foi fruto de um equívoco ou da maledicência de terceiros porquanto jamais manteve qualquer tipo de relacionamento com Joana, sendo ele, Jorge, casado, numa união que se mostra duradoura e inabalável.”





DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here