O SBT Brasil apresenta a partir desta terça, 27 de janeiro, uma série de reportagens especiais sobre o Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, ainda hoje uma das regiões mais miseráveis do Brasil, porém, muito rica culturalmente.

Intitulada "Crianças à venda – Vale do Jequitinhonha", a série é chocante ao mesmo tempo em que é uma denúncia às condições subumanas em que vivem, principalmente meninas e meninos que ainda nem atingiram a adolescência.

O repórter Sérgio Utsch esteve na região com uma equipe de cinco pessoas, os quais colheram depoimentos da realidade nua e crua do local. Como, por exemplo, o de uma garota que iniciou na prostituição infantil aos 15 anos, com o próprio pai como seu primeiro cliente.

Ou de uma outra menina que entrou no meio a pedido de seu pai. Hoje, ela está tem AIDS e cobra cerca de 50 centavos por programa. Ainda, uma outra adolescente de 16 anos que foi obrigada a casar com um senhor de 56.

Entretanto, nem tudo é lamento. Nas cidades mais vulneráveis, organizações não-governamentais como a Casa da Juventude, em Itaobim; a Juventude em Alerta, em Padre Paraíso; e a Associação das Mulheres do Jequitinhonha, em Itinga, trabalham para quebrar o ciclo explorador e dar um futuro muito mais otimista para as mulheres e crianças do vale, cujo povo tem um sotaque diferente. Como fica localizado próximo à Bahia, todos falam o "baianeiro" – metade baiano, metade mineiro.

Em Santana do Araçuaí nasceram as bonecas de barro, que possuem a mesma expressão triste das meninas do vale e que fazem sucesso em todo o Brasil e exterior.

O Rio Jequitinhonha, afluente do São Francisco, corta paisagens e relevos incríveis, repletos de montes e cachoeiras, um lugar que, por chover tão pouco, é sertão quase setenta por cento do ano.

O objetivo da série é levar ao telespectador um recorte atual e imparcial desse lugar tão especial.

SBT Brasil, nesta terça, às 21h30, no SBT.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here