Chega o dia do julgamento de Dora. Seus nervos estão à flor da pele! Todos tentam aclamá-la, mas ela só pensa em uma única coisa: sair dali livre. O juiz dá i ... Leia mais:

Chega o dia do julgamento de Dora. Seus nervos estão à flor da pele! Todos tentam aclamá-la, mas ela só pensa em uma única coisa: sair dali livre. O juiz dá início ao julgamento. Dora dá o seu depoimento. Ela narra tudo o que aconteceu na madrugada do dia 1º de janeiro de 2003. Conta que estava dirigindo o carro porque Arthur estava embriagado, mas que em certo momento ele puxou o volante de sua mão, provocando o acidente.

Violeta assiste ao julgamento e se delicia com o nervosismo de Dora. Paulinho, o próximo a depor, se mostra incomodado com a reação da mãe. Ele é chamado pelo juiz. O promotor pergunta se ele estava acordado na hora do acidente e ele confirma que sim. Dora se desespera! Ela teme que Paulinho, mais uma vez, tente incriminá-la, mas ele surpreende todos. “Eu adorava o meu irmão e sempre tive vergonha de admitir que ele era o culpado pelo acidente. Mas agora, eu não tenho mais vergonha nem medo. Quem provocou o acidente foi o Arthur”, afirma Paulinho. Alívio e espanto geral. Violeta, porém, reage irritada. “Isso não é verdade! Meu filho foi coagido a mentir!”, grita ela.

O juiz pede que todos se acalmem e resolve fazer uma pausa. Todos correm para agradecer Paulinho, mas Violeta não dá trela e anuncia que resolveu dar o seu testemunho. O juiz reinicia a sessão. Baby chega apressado e cochicha alguma coisa no ouvido de Violeta, que se levanta para depor. “Nunca me refiz da morte do Arthur…”, começa ela. “Foi o álcool que matou o meu filho”, confirma Violeta, para espanto geral. “É verdade que a Dora estava no volante. Mas a intenção dela, e só agora vejo isso claramente, deve ter sido evitar uma tragédia”, finaliza.

Todos momentaneamente se calam. No fundo da sala, Baby sorri satisfeito. Os outros se entreolham sem acreditar. “Diante das provas apresentadas estou convencido de que a ré, Dora Jequitibá Áquila, é inocente da acusação. A senhora está livre!”, anuncia o juiz. Todos se levantam e comemoram.

Como diria Dora, “It´s unbelievable!”. A cena vai ao ar na próxima quinta-feira, dia 22 de janeiro.






DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here