Antônio Chahestian/ Record

A Record TV exibe nesta segunda-feira (9), ‘A Escrava Isaura‘, relembre a trama.

Sinopse:

Isaura (Bianca Rinaldi) nasce em 1835, na fazenda do Comendador Almeida (Rubens de Falco), em Campos. Ela é filha da bela Juliana (Valquiria Ribeiro), escrava do Comendador, e do feitor da fazenda, seu Miguel (Jackson Antunes). Juliana morre pouco depois do parto, e Isaura é criada e educada por Gertrudes (Norma Blum), esposa do Comendador, que sempre quis ter uma filha. Apesar da excelente educação e de ter a pele clara, Isaura é escrava do Comendador, por ter nascido filha de sua escrava. Depois de contar a história de amor entre a escrava Juliana e o feitor Miguel e o nascimento de Isaura, a trama da novela avança para 1854, quando Isaura tem 19 anos e é uma bela casta donzela. Tudo se complica na vida dela, quando volta para a fazenda o senhor Leôncio (Leopoldo Pacheco), filho do Comendador, que desenvolve uma paixão louca pela linda escravinha. Leôncio é obrigado a se casar por interesse com Malvina (Maria Ribeiro), filha do rico Coronel Sebastião (Paulo Figueiredo), mas mesmo assim tenta seduzir Isaura, querendo que a donzela seja sua amante. Contudo, todas as tentativas e propostas de Leôncio são sempre rechaçadas pela virtuosa Isaura.

Gertrudes tem muita vontade de dar a liberdade à sua querida Isaura, mas morre antes de conseguir realizar este objetivo. Pouco depois da morte de Gertrudes, o Comendador Almeida também morre. Leôncio queima o testamento onde ele deixava a alforria para Isaura e torna-se assim o dono de escrava. A vida de Isaura piora muito com a morte de Gertrudes e do Comendador. Leôncio se torna cada vez mais insistente, e sua paixão secreta pela escrava é descoberta, primeiro por Henrique (Gabriel Gracindo), cunhado de Leôncio, que também é apaixonado por Isaura; e logo depois por Malvina, que não demora muito a perceber a obsessão de seu marido pela bela escrava. Leôncio se recusa a vender Isaura para Miguel, o pai da escrava, que há 20 anos junta dinheiro, com o maior sacrifício, para comprar a liberdade da filha. Muito magoada Malvina então volta para a casa de seu pai, o Coronel Sebastião. Com isso, Isaura fica à mercê de Leôncio, que ameaça castigá-la, se ela não ceder à paixão que ele sente por ela. Isaura é obrigada a fugir com seu pai para não ter que ceder a Leôncio.

Isaura e Miguel são auxiliados na fuga pela Condessa Tomásia (Mayara Magri), mulher que sofreu muito nas mãos de Leôncio, foi abandonada por ele, sem um tostão – quando ele se casou com Malvina – e depois se tornou muito rica ao se casar com o Conde de Campos (Carlo Briani) e virar a Condessa. Isaura e o pai são perseguidos por Martinho (Cláudio Curi), o capitão-do-mato, mas conseguem fugir, disfarçados. Isaura se refugia numa chácara perto de São Paulo, onde adota o nome de Elvira, e vive longe de tudo e todos. Porém, o jovem abolicionista Álvaro (Theo Becker) a conhece, porque gosta de nadar perto do lugar onde Isaura vive. O amor nasce entre os dois jovens, mas Isaura foge de Álvaro. Ela sabe que não pode ser dele, porque é uma escrava fugitiva. Apaixonado por ela, Álvaro desiste do casamento com Branca (Renata Dominguez), irmã de seu melhor amigo, Geraldo (Caio Junqueira).

Pouco tempo depois, Álvaro insiste em levar Isaura a um baile, onde ela acaba por ser reconhecida por Martinho, o capitão-do-mato, que estava à sua procura. Álvaro protege Isaura e tenta impedir Martinho de levá-la, mas o juiz ordena que Isaura seja re-entregue ao seu dono, Leôncio, que vem buscá-la. Contudo, Leôncio já tinha re-atado o seu casamento com Malvina, que voltou à casa, e agora é ela quem impede que ele continue a importunar a escrava. Malvina exige que Leôncio cumpra a vontade de seus pais e dê a liberdade a Isaura. Sem outra saída, falido, dependente do dinheiro do sogro, Leôncio é obrigado a concordar, mas para se vingar, resolve que vai dar a liberdade a Isaura, com a condição dela se casar com o monstruoso e cordunda Belchior (Ewerton de Castro), o jardineiro da fazenda. Já que Isaura não vai ser sua, Leôncio resolve entregá-la para o mais feio de todos os habitantes da cidade. É esta a condição que ele estabelece para dar a carta de alforria a Isaura.

Contudo, a Condessa Tomásia, resolvida a fazer Leôncio pagar por todas suas maldades, usa todo seu dinheiro para forçar a falência, primeiro de Leôncio e depois do seu sogro, o Coronel Sebastião. A Condessa e Álvaro resgatam a hipoteca de todos os bens de Leôncio, inclusive a escava Isaura, que deixa de ser prioridade de Leôncio, no mesmo dia em que ia ser forçada a se casar com o horrível corcunda Belchior. Com a maioria das personagens ali presente, na fazenda, por conta dos acontecimentos, Leôncio aparece assassinado, misteriosamente, dentro do seu quarto. O último mês da novela gira em torno do mistério de “quem matou Leôncio?” Isaura e Álvaro são presos e acusados pelo crime. Mesmo depois de descoberto o verdadeiro assassino de Leôncio, Isaura ainda corre risco, por causa de Branca, que não se conforma em ter perdido Álvaro para ela. Mas a felicidade é o destino do casal apaixonado, e a bela casta Isaura consegue se casar, pura e inocente, com seu amado, no fim da história. É a mesma história de amor, em forma de folhetim, que há mais de cem anos encanta os brasileiros de todas as idades, com acréscimo de poucos personagens, para rechear a trama. Além da história principal, acima descrita, vamos contar na novela também o amor de Helena (Fernanda Nobre), a filha caçula do Coronel, por Gabriel (André Fusko), o irmão de Tomásia. Nesta trama, vamos nos inspirar mesmo em “Romeu e Julieta”, de Shakespeare.

Além destes personagens, temos ainda João (Ivan de Almeida) e Joaquina (Chica Lopes), dois velhos escravos, que ajudam Isaura, como podem, na fazenda; a invejosa Rosa (Patrícia França), escrava como Isaura, que faz tudo que pode contra a mocinha de nossa história e é na realidade filha do Coronel Sebastião; o escravo André (Déo Garcês), rapaz de excelente caráter, também apaixonado por Isaura, que foge da fazenda e se torna líder de um quilombo; Bernardo (Christovam Neto), um negro que acha um velho garimpo e se torna um dos homens mais ricos da cidade; Moleca (Bárbara Garcia), uma escravinha apaixonada por André, que rejeita Bernardo e depois se arrepende quando ele fica muito rico.

O fundo histórico da novela é a luta pela liberdade dos escravos, ainda no começo da causa abolicionista, no florescimento da cultura do café, em nosso país.

Confira o Perfil dos Personagens:

FAMÍLIA DE ISAURA

ISAURA (Bianca Rinaldi) – por volta de 20 anos, escrava, filha de escrava mulata com feitor branco, tez clara, muito bela, sensível, delicada, bela voz, refinada, romântica, teve educação esmerada, por conta de sua madrinha, que a criou como filha. Não sabe mentir, é ainda donzela, virgem recatada, emociona-se com facilidade. Pensa sempre nos outros, procura fazer sempre o bem. Boa filha, carinhosa com seu pai, teve a madrinha Gertrudes como  sua “mãe branca” e Joaquina como “sua mãe preta”. Foi criada por essas duas mulheres e sente-se exatamente como é, na verdade, com um pé na senzala e outro na casa-grande. Isaura sofre por si e pelos outros. Deseja muito conquistar a liberdade, que sempre lhe é negada.

MIGUEL (Jackson Antunes) – Pai de Isaura. É capaz de passar privações para juntar mais dinheiro para comprar a carta de alforria da filha. É um homem de excelente caráter, digno, trabalhador. Ama a filha e é um pai maravilhoso.

FAMÍLIA DO COMENDADOR

COMENDADOR ALMEIDA (Rubens de Falco) – 70 anos, Dono de fazenda, homem poderoso, autoritário, duro, bravo, acostumado a ter tudo ao seu modo, casado com Gertrudes, ama a mulher, mas sente-se atraído pela escrava Juliana e tenta forçá-la a ter um relacionamento com ele.

GERTRUDES (Norma Blum)– Esposa do comendador, mulher sofrida, boa, sabe que o Comendador a ama, e vai fazer de tudo para manter seu casamento até o fim, apesar da brutalidade e até da crueldade do marido. Cria Isaura como filha.

LEÔNCIO (Leopoldo Pacheco) – 30 e poucos anos. Filho único do Comendador Almeida e de Gertrudes, é um psicopata, devasso, cruel, egoísta, vilão até a medula, lúbrico, tarado. Jogador, coloca a família à beira da falência. Desenvolve obsessão absoluta por Isaura, que resiste a seus desejos.

A FAMÍLIA DOS ESCRAVOS

ANDRÉ (Déo Garcez) – 28 anos, mulato ou negro, bonito, bem feito de corpo, apaixonado por Isaura, é romântico e tem excelente caráter.

JOAQUINA (Chica Lopes) – 60/70 anos, é a “mãe preta” de Isaura, por quem sente profundo amor. É também a tia de André. Velha cozinheira, sabe tudo de ervas e comidas. Tem muito medo de Leôncio e do Comendador, mas é capaz de arriscar a própria pele por André e Isaura.

JOÃO (Ivan de Almeida) – 60 anos, negro, mantém a tradição oral das histórias da África, de onde veio no navio negreiro, quando era criança. Seria o Rei de Gabu, não tivesse se tornado escravo. É um homem bom, íntegro, de excelente caráter, grande pai para André, aliado a Isaura, guerreiro do exército do bem.

FAMÍLIA DO CORONEL SEBASTIÃO CUNHA

 

SEBASTIÃO (Paulo Figueiredo) – coronel, por ser dono de terras, homem de fazenda, amigo e compadre do Comendador Almeida, casa sua filha Malvina com Leôncio. O grande amor de sua vida foi Gioconda, a quem deixou porque era pobre, para se casar com a finada Antonia.

MALVINA (Maria Ribeiro) – esposa de Leôncio, bela mulher, estava já com medo de ficar para titia, quando surgiu o casamento arranjado com Leôncio, que aceita de bom grado, cheia de sonhos e fantasias, que logo se frustram, ao perceber que casou mesmo com um homem bruto, cruel, insensível, capaz das piores barbaridades.

HENRIQUE (Gabriel Gracindo) – É o irmão do meio, na família do Coronel Sebastião, belo rapaz, guapo, forte, impulsivo, estourado. Apaixona-se por Isaura e tenta sempre fazer a corte a ela, muitas vezes em horas absolutamente impróprias, quando ela tem coisas bem mais terríveis e prementes para resolver.

HELENA (Fernanda Nobre) – Filha caçula do Coronel Sebastião, apaixona-se por Gabriel, mas sua família rejeita e proíbe este amor. Seu pai, o Coronel, não quer, porque tem uma antiga desavença com Gioconda, mãe de Gabriel, que teve com ele um caso de amor no passado, mas foi rejeitada, quando o Coronel decidiu se casar com a mãe de Helena.

ROSA (Patrícia França) – 30 anos, é na realidade a filha bastarda do Coronel Sebastião, fruto do amor dele com uma escrava, que morreu quando ela era ainda criança. Sempre quis saber quem era o pai, senhor de terras, mas fica muito infeliz quando descobre e é rejeitada por ele. Também sente-se rejeitada por Henrique e Malvina, mas afeiçoa-se a Helena, cujo amor com Gabriel ela vai tentar ajudar.

AURORA (Paula Lobo Antunes) – Filha única de Virgínia, uma brasileira, e Amaral, um português, ambos já falecidos. Nasceu e morou em Lisboa durante toda a sua vida. Casou-se ainda muita nova com José Pereira, que morreu atropelado por uma carruagem. Órfã e viúva, Aurora decide conhecer o ramo da família que tem no Brasil, na cidade de Campos, onde mora o Coronel Sebastião Cunha, primo-irmão de sua mãe, mas na realidade criado como irmão. Ao chegar ao Brasil, Aurora se encanta pela primeira vez por um rapaz, seu primo distante, Henrique. Depois de quase um ano de luto, ela sente um grande encantamento por Henrique, porém se decepciona ao saber por Rosa que ele está amasiado com uma rameira, a Flor-de-Lis. Henrique, Sebastião e Malvina protestam contra a intriga de Rosa. Henrique procura se desvencilhar de Flor-de-Lis, mas esta vai fazer de tudo que puder para impedir o amor de Henrique e Aurora, inclusive inventando que está grávida. Aurora gosta muito da poesia de Camões, ama a leitura e conhece bem a história de Portugal. Aurora se tornará também grande amiga e confidente de Helena, que vai voltar grávida e sozinha para a casa do pai, depois que o seu grande amor, Diogo, tornar-se fugitivo da polícia, acusado pela morte do marido dela, o dr.Paulo.

FAMÍLIA DE TOMÁSIA

TOMÁSIA (Mayara Magri) – 30 e poucos. Bonita, romântica e com boa educação. Sensível e inteligente, mas com a falência da família, tem medo de não se casar, e agora quer qualquer custo arrumar um marido.

GIOCONDA (Mirian Mehler) – Mãe de Tomásia e de Gabriel, 60 anos, foi rejeitada por Sebastião, amor de sua juventude, que deixou de casar com ela porque era pobre. Exagerada, cômica, preocupa-se demais com os filhos, que sempre arrumam um modo de deixá-la com os nervos à flor da pele.

GABRIEL (André Fusko) – Filho de Gioconda, irmão de Tomásia, 20 anos, ele se apaixona perdidamente por Helena, mas este amor é proibido tanto pela família dela como pela dele.

CONDE CAMPOS (Carlo Briani) – Abolicionista, homem influente, ligado às questões de estado, vai ser contra as atitudes do Leôncio.

FAMÍLIA DE ÁLVARO

ÁLVARO (Theo Becker) – Belo rapaz, de rosto e corpo bem feitos, atitudes nobres, másculo, idealista, abolicionista, é como aparece no livro de Bernardo Guimarães.

PERPÉTUA (Sylvia Bandeira) – 50 anos, mãe de Álvaro, ama muito o filho, de quem é grande amiga e confidente. A princípio, reluta contra as idéias abolicionistas que Álvaro teima em colocar em prática.

FAMÍLIA DE GERALDO E BRANCA

GERALDO (Caio Junqueira) – 26 anos, melhor amigo de Álvaro, de quem é grande confidente, belo rapaz, altruísta, poeta, abolicionista, faz muito gosto que o amigo se case com sua irmã Branca.

BRANCA (Renata Domingues) – 20 anos, irmã de Geraldo, bonita, é apaixonada por Álvaro, de quem chega a ficar noiva.

ESTELA (Aldine Miller) – 45 anos, foi uma mulher belíssima e ainda guarda certa beleza, grande cúmplice da filha Branca.

MAIS UM CASAL COM MUITOS PROBLEMAS

BERNARDO (Christovam Neto) – 30 e poucos anos, negro retinto, voz e corpo fortes, faz parte do quilombo onde André vai parar. Apaixona-se pela negrinha Moleca, que o rejeita.

MOLECA (Barbara Garcia) –  20 anos, negrinha linda, de ótimo caráter, apaixona-se por André e rejeita Bernardo.

EMPREGADOS DO COMENDADOR

BELCHIOR (Ewerton de Castro) – 60 anos, jardineiro, fala tudo errado, sotaque forte de caipira, corcunda, dentes podres, sovrancelhas compridas, assusta pela feiúra, perdidamente apaixonado por Isaura, o sonho da vida dele é conseguir casar com uma moça linda, apesar de estar longe de ser ele mesmo um protótipo de beleza.

FRANCISCO (Jonas Mello)– Feitor da Fazenda do Comendador. Homem duro, cruel, inflexível, carrasco, gosta de açoitar os negros, braço direito do vilão Leôncio, capaz de roubar, matar.

RAIMUNDO (Romulo Delduque) – Capanga de Leôncio e Chico, cruel, braço direito de Francisco, em todas as suas maldades.

BENEDITO (Ciro José) – Capanga, ótimo atirador, também serve a Leôncio e Chico nas maldades.

OUTRAS PARTICIPAÇÕES

MARTINHO (Cláudio Curi) – 40 anos, capitão-do-mato, caçador e mercador de escravos, ganancioso, faz qualquer coisa por dinheiro.

DOUTOR PAULO (Fábio Junqueira) – Médico, 45 anos, ainda solteiro. Perdeu uma noiva por causa de doença, no passado, por isso demorou tanto a querer se casar. Apaixona-se por Helena e é o grande rival de Gabriel.

SARGENTO ALOÍSIO GUIMARÃES (Rodrigo Zanardi) – Segue as leis, e está sempre disposto a investigar os crimes, não se importando se o criminoso é rico ou pobre.

AS MENINAS DO JARDIM DE SERAFINA (bordel)

SERAFINA (Maria Cláudia)– É a dona do bordel. Muito bonita, hoje já madura, ela ganhou dinheiro graças a suas ligações perigosas, com senhores ricos e poderosos. Deu nomes de flores às moças que trabalham com ela. Não teve filhos e trata as moças do bordel com carinho, mas é exigente e cobra eficiência.  Romântica, Serafina ficou enclausurada em seu quarto, durante sete anos, após a morte do grande amor de sua vida, que aconteceu enquanto eles se amavam. Durante o tempo em que ficou reclusa, passou a gerência dos negócios para Violeta. O retorno de Serafina é triunfante e causa o maior falatório na cidade. Ao voltar, Serafina não esconde um desejo antigo que tem pelo Coronel Sebastião e vai perturbar profundamente a relação dele com a dona Gioconda.

VIOLETA (Daniela Duarte) – 28 anos, é ela quem toma conta da casa da luz vermelha, de dona Serafina, depois que esta ficou entrevada. Foi achada na roda, onde se deixavam as crianças órfãs ou enjeitadas. Recolhida e criada por Serafina (que não aparece), ela se tornou a favorita de todas as meninas.

FLOR-DE-LIS (Lígia Fagundes) – 19 anos, é a caçulinha do “jardim” de Serafina, assim chamado porque todas têm nomes de flor, são as “florezinhas”, como elas carinhosamente se chamam.

MARGARIDA (Thaís Lima) – 22 anos, também é uma das “florezinhas” de Serafina.



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here