Diretora da Divisão de Proteção e Atendimento à Mulher (Deam) se pronunciou sobre o pedido de suspensão feito pelo ex-BBB. Ela afirmou que ocorreu um engano por parte do médico em enviar a limi ... Leia mais:

Marcos Harter/Instagram
Marcos Harter/Instagram

Nesta quarta-feira (18), saiu na mídia que o ex-BBB Marcos Harter pediu para a Justiça suspender as acusações do DEAM (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher) alegando que a delegada Viviane da Costa não tem atribuição para presidir o caso sobre a suposta agressão contra Emilly Araújo, e que a vítima, sua namorada no reality show, não apresentou denúncia contra ele.

Poucas horas depois da notícia ganhar repercussão, Marcia Noeli Barreto, diretora da Divisão de Proteção e Atendimento à Mulher (Deam), rebateu a declaração do médico em entrevista ao jornal “Extra”.

“Ele entrou com o pedido contra mim. Não entendi nada. Recebi o comunicado ontem (18) e vou responder hoje (19) ainda. O acusado especificou meu nome como quem instaurou o inquérito. Mas ele errou. Quem está investigando o caso é a delegada Viviane Costa (delegada da Deam de Jacarepaguá, onde o caso é investigado). Mas o advogado vai fazer o papel dele, entendo. Não, há, no entanto, nada que eles aleguem que possa ser incorreto. Está tudo na lei e esse pedido não atrapalha as investigações”, disse a delegada.

O juiz Marco Couto, da 1ª Vara Criminal de Jacarepaguá, determinou que a delegada preste esclarecimentos sobre o caso em 72 horas, a contar a partir desta terça-feira (18). Só então ele decidirá sobre a concessão ou não da liminar.

“Considerando as circunstâncias do caso concreto, entendo que o pedido de liminar deva ser examinado após a Autoridade Coatora prestar as suas informações, já que a inicial veio desamparada de qualquer cópia dos autos do inquérito policial. Por isso, oficie-se a Autoridade Policial a fim de que preste esclarecimentos, no prazo de 72 horas, sendo certo que o pedido liminar será examinado com a chegada de tais informes”, declarou o magistrado em seu despacho.

Durante o desenrolar do processo, Marcos está em Mato Grosso e já voltou a atuar como cirurgião plástico, nesta terça-feira (18).

COMENTÁRIOS