Jornalista Laine Valgas – Reprodução: TV Globo

Nestes últimos dias, o deputado estadual de Santa Catarina do Partido Social Liberal (PSL), Jessé Lopes acabou gerando uma polêmica no Brasil inteiro ao fazer uma afirmação sobre o movimento feminino.

+ Entenda o motivo do sertanejo Gusttavo Lima não aparecer mais na Globo

Na ocasião, o político criticou o movimento feminista do ‘Não é Não’ e afirmou que a mulher tem o ‘direito de ser assediada’, pois, segundo Jessé Lopes, ‘massageia o seu ego’. Ao dar a notícia, a jornalista da NSC, Laine Valgas afiliada da TV Globo no estado de Santa Catarina, fez questão de repreender o comentário dele:

Novas demissões nos bastidores da Globo gera desespero entre jornalistas

“Ser assediada não é um direito, é uma triste realidade com a qual as mulheres são orbigadas a conviver por conta do machismo, que torna normal, rotineiro ou até lisonjeiro coisas que constragem as mulheres, como o assédio, a importunação sexual que, vamos repetir, não é um direito, não é um elogio, não massageia o ego ou satisfaz a vaidade da mulher. É crime, definido por lei. E caso ainda não esteja claro, vamos dizer mais uma vez: inclui a realização de ato libidinoso, de forma não consensual, e também enquadra ações como beijo forçado, passar a mão no corpo alheio sem permissão. Não, nem toda mulher quer ser cantada na rua porque o corpo não é um domínio público”, disse ela.

“Acabou de vez”, dispara Leo Dias sobre sua saída do SBT

Ainda em seu desabafo, a jornalista e apresentadora continuou: “As mulheres relataram que já foram encoxadas, tocadas e receberam cantadas indesejadas. Indesejadas, eu disse, deputado. Significa que elas não desejaram, queriam ou gostaram”, finalizou Laine Valgas, que recebeu muito apoio do público em suas redes sociais.

Veja o comentário da jornalista:



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here