Luis Lobianco e Francielle Pimenta / Instagram

O ator Luis Lobianco usou suas redes sociais nesta segunda-feira (4) para fazer um agradecimento. É que neste último domingo (3) aconteceu a repescagem da competição ‘Dança dos Famosos’, quadro do ‘Domingão do Faustão’, e após os votos dos jurados e do público, ele foi um dos participantes que deixou a competição.

Durante a competição, Lobianco dançou com a bailarina Francielle Pimenta. O ator acabou indo direto para repescagem pois não pode participar da rodada que teve como ritmo musical o rock, isso porque ele sofreu uma entorse.

“Participei de um concurso de lambada na escola quando criança. Cada responsável tinha que produzir o figurino do aluno e os meus pais, que não podiam gastar, não me deixaram competir. No dia da apresentação eu cortei um roupão de banho verde musgo do meu pai, fiz faixas pra cintura, cabeça, punhos e fui lá dançar sem eles saberem. Ganhei o 1º lugar!”, começou o ator.

Dança dos Famosos: Confira como foi a repescagem

“No concurso de lambada de ontem eu perdi. Competir na vida adulta é a oportunidade de avaliar que valores estamos atribuindo aos conceitos de perda e ganho. No colégio, que pode ser um território cruel pra meninos como eu fui, ganhar era afirmação, um recado aos valentões: não vou deitar pra vocês! Mas hoje que sou um homem feito e tenho o privilégio de viver de arte minha busca deve ser pela vulnerabilidade. Se estiver seguro demais, desconfiar”, continuou.

“Na experiência artística, quanto mais arriscado e incerto mais humanidade trago para o meu repertório. É óbvio que como qualquer um dos meus colegas da Dança o meu desejo era triunfar na final, imagino a onda que eu tiraria! Mas numa coreografia, assim como nas aulas de futebol que fiz há 3 anos, o treino para mágico que tive em 2017, eu posso brincar de gincana e não fazer ponto, tá tudo bem, nessas aventuras eu tô é no lucro!”, afirmou.

“Ser aluno é um exercício de humildade. Entre tantas coisas a se aprender o que mais me interessa é desconstruir a ideia de que no mundo só há espaço para os predadores, os topzeras – às vezes entre homens isso é um saco! Eu estou certo de que não quero tratar meu trabalho assim. Que alívio é não precisar ser herói! E que alegria ter essa prática num elenco de dança onde o bom humor era nosso maior compromisso!”, continuou.

Luis Lobianco celebra nascimento da afilhada: “Meu amor”

“Quando cheguei em casa segurando o prêmio, vestido com as tiras do roupão cortado do meu pai, tomei a uns cascudos. Ontem, sem troféu, ganhei só carinho, respeito e fiz amigos, o que realmente levamos nessa vida! Agradecer sempre! Primeiro à @redeglobo pelo convite, à minha professora @franciellepimenta e a sua risada que não desgrudo mais. Equipe do Domingão, em especial o nosso diretor Beto Silva e produção. Juro, esse pessoal é tão gentil que agora tô mal acostumado! Eles são também figurinistas, camareiros, motoristas, seguranças, caracterizadores e equipe @gshow”, agradeceu.

“Às palavras amorosas do mestre @sylviolemgruber e todos os seus assistentes, faz toda a diferença! Obrigado meu amor @luciozandonadi e meus amigos pelo apoio emocional. Obrigado jurados e obrigado ao público pela enorme torcida na internet, no aeroporto, na rua… vou morrer de saudade desse carinho. Eis a nossa última coreografia na #DançaDosFamosos2019 Divirtam-se!”, finalizou Lobianco.

Assista ao vídeo:

View this post on Instagram

Participei de um concurso de lambada na escola quando criança. Cada responsável tinha que produzir o figurino do aluno e os meus pais, que não podiam gastar, não me deixaram competir. No dia da apresentação eu cortei um roupão de banho verde musgo do meu pai, fiz faixas pra cintura, cabeça, punhos e fui lá dançar sem eles saberem. Ganhei o 1º lugar! No concurso de lambada de ontem eu perdi. Competir na vida adulta é a oportunidade de avaliar que valores estamos atribuindo aos conceitos de perda e ganho. No colégio, que pode ser um território cruel pra meninos como eu fui, ganhar era afirmação, um recado aos valentões: não vou deitar pra vocês! Mas hoje que sou um homem feito e tenho o privilégio de viver de arte minha busca deve ser pela vulnerabilidade. Se estiver seguro demais, desconfiar. Na experiência artística, quanto mais arriscado e incerto mais humanidade trago para o meu repertório. É óbvio que como qualquer um dos meus colegas da Dança o meu desejo era triunfar na final, imagino a onda que eu tiraria! Mas numa coreografia, assim como nas aulas de futebol que fiz há 3 anos, o treino para mágico que tive em 2017, eu posso brincar de gincana e não fazer ponto, tá tudo bem, nessas aventuras eu tô é no lucro! Ser aluno é um exercício de humildade. Entre tantas coisas a se aprender o que mais me interessa é desconstruir a ideia de que no mundo só há espaço para os predadores, os topzeras – às vezes entre homens isso é um saco! Eu estou certo de que não quero tratar meu trabalho assim. Que alívio é não precisar ser herói! E que alegria ter essa prática num elenco de dança onde o bom humor era nosso maior compromisso! Quando cheguei em casa segurando o prêmio, vestido com as tiras do roupão cortado do meu pai, tomei a uns cascudos. Ontem, sem troféu, ganhei só carinho, respeito e fiz amigos, o que realmente levamos nessa vida! Agradecer sempre! Primeiro à @redeglobo pelo convite, à minha professora @franciellepimenta e a sua risada que não desgrudo mais. (Agradecimento continua nos comentários)

A post shared by Luis Lobianco (@luislobianco) on



3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here