Bruna Hamu (Globo/Mauricio Fidalgo)
Bruna Hamu (Globo/Mauricio Fidalgo)

Chamada para entrar em ‘A Dona do Pedaço‘ no meio da trama foi uma surpresa para Bruna Hamu, que havia feito testes para entrar no elenco da novela e não foi escalada logo de cara. Agora, a atriz é só empolgação com um personagem que entra na trama de Walcyr Carrasco para mexer com o público.

Na pele de Joana, ela vai conquistar o coração de Maria da Paz (Juliana Paes) e levantar a hipótese de ser a verdadeira filha da boleira, que teria sido trocada na maternidade. A história não foi confirmada por Walcyr Carrasco, mas já tem gente torcendo para que seja verdadeira. Antes de gravar a primeira cena da novela, Bruna conversou com o Área Vip nos bastidores na última terça-feira (03) e contou um pouquinho de sua felicidade com a volta às novelas depois de ser mãe.

Você está entrando agora em A Dona do Pedaço, uma novela que já está bombando desde o início. Como é essa experiência para você?

Pra mim é uma gratidão imensa poder fazer parte disso. Uma novelas das nove, Walcyr (Carrasco), ainda. A novela é muito gostosa de assistir. Eu já acompanhava antes de saber que eu ia de fato fazer. Uma gratidão também poder voltar ao trabalho, já que eu fiquei três anos fora, cuidando do meu filho (Júlio, 2  anos). Uma gratidão imensa de poder trabalhar com atores que eu sempre admirei. Estou ansiosa, até um pouco nervosa. Mas vai dar tudo certo. Me acolheram super bem. Estou me sentindo em casa.

Como foi sair para trabalhar pela primeira vez depois de ser mãe?

Ai, o coração aperta, né? O coração fica minúsculo. Mas eu sei que é mais uma sensação minha do que dele, então isso me tranquiliza. Ele tá lá com a minha mãe, com a mãe do meu marido. Ele está bem.

Houve três candidatas para fazer a Joana e você acabou escolhida. Como vai ser essa personagem? Ela é mesmo a filha perdida da Maria da Paz? Conta pra nós.

Olha, essa informação  eu ainda não tenho. Torço pra que sim, porque adoraria, mas sobre isso realmente não sei. Joana é uma menina forte, doce, batalhadora. Eu estou me inspirando muito na Juliana, como Maria da Paz, porque a Joana tem muito dela, nisso de querer trabalhar, de correr atrás. De conquistar, de subir na vida com o trabalho mesmo. Existe muita empatia nela também, essa coisa de ajudar os outros. É muito solícita, sempre está ajudando.

A cena do assalto, quando Joana e Maria da Paz se conhecem, você já gravou?

Não. Mas vai ser minha primeira cena hoje.

E como você está imaginando essa cena?

É uma cena meio ali, no meio do caminho. A Joana está visitando a Maria da Paz na casa dela, elas estão comendo um bolo… Mas não há nenhuma informação relevante nessa cena. Elas vão se identificar logo de cara.

A internet ficou em polvorosa quando soube que a Joana vai se relacionar com o Rock. Como você e o Caio Castro estão ‘armando’ essa relação entre os dois? Vocês já se conheceram?

Eu acabei de conhecer o Caio. Mas amigos meus já trabalharam com ele, deram um feedback super positivo. Eu estou com uma expectativa super boa. Sei que ele é ótimo, muito generoso em cena. Acho que vai ser uma parceria bem bacana.

Muito se falou nas redes sociais dessa ‘mãe de mentirinha’ da Joana. Muita gente falou que poderia ser uma moradora de rua, poderia ser uma enfermeira. Você já tem informações sobre a mãe da personagem?

Não, ainda não sei nada sobre a mãe da Joana. Eu sei que a Joana é técnica de enfermagem. Mas sobre a mãe dela, não sei absolutamente nada.

Como foi passar esses três anos longe do trabalho, focada inteiramente no seu filho?

A maternidade pra mim foi uma transformação mesmo. De uma lagarta, você vira uma borboleta. Eu descobri um mundo novo, que eu não conhecia. Descobri que todos os clichês da maternidade realmente fazem isso, são todos reais. Foi transformador pra mim. Cresci muito, amadureci muito. Consigo hoje enxergar o mundo com os olhos do meu filho. Não é só ele que aprende comigo – eu sim aprendo muito mais com ele!

A sua gravidez foi programada?

Não, não planejamos, deixamos acontecer. Hoje sou muito apegada com ele. Acabamos desenvolvendo uma relação muito forte, meu filho e eu. Claro, eu sou mãe dele, mas, independente… A gente é muito ligado. Porque eu ficava com ele todos os dias, com exceção do tempo em que ele passava na escola. Então a gente acabou criando essa ligação muito forte.

Você mora no Rio de Janeiro mesmo?

Não, em São Paulo. Meu filho está lá, me esperando! [risos]

É a primeira vez que vocês se separam tanto tempo?

Sim, primeira vez… Eu recebo muitos vídeos dele. A minha mãe fica mandando vídeo, o pai dele também. Mas é sempre emocionante você chegar, dá até vontade de chorar. [risos]

Pensa em ter mais um filho?

Penso! Não agora. Mas eu quero muito dar um irmão pra ele.

Como você recebeu a confirmação de que estaria em A Dona do Pedaço?

Quando eu fiquei sabendo, eu não esperava. Não mesmo. Quando me falaram, eu falei: ‘Deus, Você é top!’ Porque realmente eu recebi como um presente, sabe? Porque é a melhor volta que eu poderia ter tido. Eu não consigo imaginar um cenário melhor que esse pro meu retorno. Foi realmente um presente de Deus!

Você teve que deixar A Lei do Amor mais cedo por conta da gravidez. Como foi isso pra você?

Foi necessário pra mim. Até como pessoa, e consequentemente como atriz também. Eu acho que, quando a gente cresce como pessoa, a gente está crescendo como atriz. Eu sempre falei que tudo acontece no tempo de Deus. Tudo acontece conforme tem que acontecer. Eu acredito muito nisso, sempre confiei muito nisso.

Você tem acompanhado nas redes sociais a curiosidade pela sua personagem?

Eu tento não ler tanto, pra não ficar mais ansiosa do que eu já estou. Mas, claro, as coisas chegam em mim. E eu fiquei muito feliz, até surpresa, com essa comoção toda em torno da Joana.

Já conheceu a Juliana Paes?

Conheci, na semana passada. Gente, ela é maravilhosa! Tudo o que me falavam e muito mais. Sério, ela me acolheu muito bem. Eu não poderia ter ficado mais feliz. Ela me deixou confortável. Me deu um mega de um abraço, já me senti acolhida.

Você torce pra Joana ser realmente filha da Maria da Paz?

Ah, com a pouca informação que eu tenho, eu torço sim. Acho que ia ser legal. A Joana e ela têm uma identificação forte, logo de cara. Eu vejo a Joana muito como a Maria da Paz, nessa coisa de ser guerreira, de correr atrás, da bondade, de querer ajudar os outros, de acolher…

Você comentou que já assistia à novela antes de ser escalada. Isso te ajudou no processo pra se integrar a essa história – que, bem ou mal, já está no meio do caminho?

Ajudou sim, porque eu já tenho uma ideia de onde estou chegando. Apesar de que a Jô também não conhece ninguém. Ela chega ali e a primeira pessoa a quem conhece é a Maria da Paz. Então ela vai conhecendo os demais aos poucos. Como eu, ela também não conhece ninguém.

Como foi o processo para a Joana chegar até você? Fez teste, recebeu convite?

Eu fiz um teste pra essa novela no começo, quando o elenco ainda estava aberto. Não me lembro nem para qual personagem. Me deram um texto e eu fiz. Mas não passei. Tudo bem, vida que segue… E depois fiquei sabendo que tinha entrado. Acredito que esse teste tenha valido, embora não tenha essa informação precisa.

Você já provou o Bolo da Paz? Matou essa curiosidade?

Ainda não, vou provar agora. Estou ansiosa pra provar esse bolo.

Você está preparada para lidar com a possibilidade de, no final das contas, tudo não ter passado de uma ‘brincadeira’ do Walcyr e a Joana não ser, de fato, filha da Maria da Paz?

Eu, como espectadora, torço para que seja. Mas eu ainda não sei. Novela é assim, você tem que estar preparado pra tudo.

Pelo que a gente viu, existe um mistério em torno da Joana. Já que ela estará sempre dizendo ao Rock que não pode sair, que precisa cuidar da avó… Você já tem uma ideia do que se trata?

Eu sei que ela cuida da avó. Mas só sei até essa parte.

Você se identifica com a personagem?

Acho que sim. Eu tenho um pouco da força dela, de correr atrás, de batalhar pelas minhas coisas. Acho que tenho um pouco da doçura dela também. De querer ajudar as pessoas.

Ela é muito diferente das suas personagens anteriores, que eram mais patricinhas, né?

Exatamente. Ela é o completo oposto da Camila, que fiz em A Lei do Amor, por exemplo. A Joana é mais ‘gente como a gente’, que não se arruma muito pra sair de casa, sai pra trabalhar mesmo.

Isso é um desafio pra você, como atriz?

É um desafio, mas é um desafio gostoso. É bom que muda um pouco dessa imagem de até agora. Acho que eu descubro em mim também um lado que eu não conhecia tanto, que eu vou buscando dentro de mim pra poder dar pra Joana. É um autoconhecimento também.

Para encerrar: quando é que você acha que você é ‘dona do pedaço‘?

Quando eu estou educando meu filho.

Confira também:

Reynaldo Gianecchini torce pela redenção de Régis em ‘A Dona do Pedaço’ – Confira a entrevista!



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here