Rafael Zulu / Instagram

O ator Rafael Zulu usou suas redes sociais na tarde desta quarta-feira (13) para lamentar a morte de uma pessoa muito especial para ele e também para a sua família

No Instagram, ele compartilhou vários clicks da sua tia, Taninha, ou Calhubinha, como ele carinhosamente a chamava, e aproveitou para lembrar vários momentos felizes que eles tiveram juntos.

Rafael Zulu posta primeira foto ao lado da nova namorada

Mesmo triste com a perda, Zulu ainda ressaltou que o que lhe conforta é saber que ele e sua tia sempre demonstraram muito amor e carinho um pelo outro e que afora ela está descanso ao lado de sua avó, Tereza.

“E o nosso anjinho se foi… afinal o céu precisa de anjos, né? Foi mas nos deixou com o coração cheio de certezas, e uma das certezas é a de que todos nós somos iguais aos olhos de Deus! Com você aprendi desde que eu ficava no seu colo, que pessoas especiais precisam ser tratadas com amor, afeto, carinho… e paciência tem que ser a maior virtude de quem convive com essas pessoas”, começou ele.

“Você era amor, e eu posso falar com a boca cheia: eu e vc nos amávamos muito! Como era bom cheirar seu cangote, beijar seu nariz, morder sua nuca, apertar sua barriguinha, e SEMPRE te fazer cócegas. Das poucas coisas que vc falava uma delas era o meu nome, e eu confesso que me envaidecia com isso. Eu te amo, e sempre que podia te falava isso, me conforta demais lembrar disso no dia de hoje!”, lembrou.

Mari Alexandre lamenta um mês da morte da sua mãe

Tia Taninha (pra mim Calhubinha), fala pra vovó Tereza o quanto ela faz falta aqui embaixo, e que tentamos ao máximo cumpri com o combinado que ela pediu: cuidar de vc até o finalzinho! Já disse mas quero repetir… te amo muito e cuida da gente aí de cima”, finalizou o ator.

Veja o post – deslize:

View this post on Instagram

E o nosso anjinho se foi… afinal o céu precisa de anjos, né? Foi mas nos deixou com o coração cheio de certezas, e uma das certezas é a de que todos nós somos iguais aos olhos de Deus! Com você aprendi desde que eu ficava no seu colo, que pessoas especiais precisam ser tratadas com amor, afeto, carinho… e paciência tem que ser a maior virtude de quem convive com essas pessoas. Você era amor, e eu posso falar com a boca cheia: eu e vc nos amávamos muito! Como era bom cheirar seu cangote, beijar seu nariz, morder sua nuca, apertar sua barriguinha, e SEMPRE te fazer cócegas. Das poucas coisas que vc falava uma delas era o meu nome, e eu confesso que me envaidecia com isso. Eu te amo, e sempre que podia te falava isso, me conforta demais lembrar disso no dia de hoje! Tia Taninha ( pra mim Calhubinha), fala pra vovó Tereza o quanto ela faz falta aqui embaixo, e que tentamos ao máximo cumpri com o combinado que ela pediu: cuidar de vc até o finalzinho! Já disse mas quero repetir… te amo muito e cuida da gente aí de cima. ♥️🙏🏿

A post shared by Rafael Zulu (@rafaelzulu) on



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here