Zezé Di Camargo (Reprodução/Instagram)
Zezé Di Camargo (Reprodução/Instagram)

Zezé Di Camargo voltou a virar assunto nas redes sociais nesta segunda-feira (11)! O sertanejo opinou sobre a ditadura no Brasil em vídeo que foi ao ar no Youtube, no canal de Leda Nagle.

“Eu vou falar um absurdo aqui para você, as pessoas vão me criticar, jornalistas vão falar de mim, achar que sou um maluco. (…) Muita gente confunde militarismo com ditadura, todo mundo fala ‘nós vivíamos numa ditadura’. Nós não vivíamos numa ditadura, nós vivíamos num militarismo vigiado”, disse Zezé, sobre o período brasileiro de 1964 a 1985.

Ela ainda continuou: “Ditadura é a Venezuela, Cuba com Fidel Castro, Hungria, Coreia do Norte, China, esses são realmente ditadores. O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura daqueles que ou você está a favor ou você está morto”. 
O irmão de Luciano também tentou minimizar a violência do regime militar brasileiro.“Mas não chegou a ser tão sangrenta, tão violenta, como a gente vive até hoje, no mundo de hoje. Não dá pra acreditar que muita gente ainda acredita que uma ditadura vai dar certo. Mas eu acho, eu acredito, as pessoas vão me achar maluco, não quero isso jamais pro Brasil, mas eu imagino que o Brasil hoje precisaria passar por uma depuração”, opinou.

“Eu me considero um cara muito politizado. Eu não imagino eu sendo um político. Já tive convite pra isso, já conversei com alguns políticos e eles ficam impressionados com o meu conhecimento político. Mas não tenho isso como vocação. Eu quero ser politizado para exercer o meu direito como cidadão”, completou o cantor.

Com o título “Zezé di Camargo: Militarismo vigiado para o Brasil sair da crise”, o vídeo dividiu a opinião dos seguidores. “Concordo com o Zezé”, “Parabéns Zezé, adorei sua entrevista. É como penso também a respeito do Brasil, acho mesmo que seria a única medida viável para o lamaçal  que estamos enfrentando” e “Tem toda razão. Você falou muito bem”, foram alguns comentários que o post recebeu.

Por outro lado, as declarações do cantor causou revolta: “O Zezé calado é um poeta”, “Seria cômico se não fosse trágico”, “Impressionante com a burrice e ignorância desse cara. Leda manteve a elegância, mas devia estar com vontade de rir por dentro” e “Ponto da entrevista é a ganancia quanto mais tem mais quer meu Deus, Zezé”.

Veja a entrevista completa!






DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here