O convidado do “Marília Gabriela Entrevista” deste domingo, dia 31, é o ator Rodrigo Santoro. Ele é um dos protagonistas do longa “Os Desafinados”, de Walter Lima Jr., e acaba de participar de três novas produções norte-americanas. Com atuações elogiadas pela crítica, ele admite que a profissão não é fácil. “Tudo é muito delicado, você está fazendo um personagem e construindo um ser humano. É complexo”, explica. O ator conta também que tem dificuldade em se separar do personagem após o término das gravações: “Gosto da intimidade, não tenho medo de me envolver. Depois dá trabalho. A experiência fica em você. Tem muito de mim em todos os personagens”.

Neste ano, Rodrigo ainda poderá ser visto no filme “Che”, de Steven Soderbergh, cujo lançamento na Europa está previsto para setembro. No filme, o ator interpreta Raul Castro, irmão do ditador cubano Fidel (personagem de Benicio Del Toro). Ele conta que foi sua primeira “aventura” em espanhol e que tremeu ao fazer a primeira cena com Del Toro. Sobre insegurança, o ator revela: “Não passa nunca. Até porque tive sorte de estar sempre em desafio”.

Atualmente, apesar da casa no Rio de Janeiro, Santoro passa grande parte do ano no exterior. Gabi questiona se ele ainda se sente em casa quando retorna à cidade. “Me sinto, minha vida está no Leblon. O que noto muito é o óbvio: a violência, uma tensão constante. Como venho de fora não sinto essa tensão, então, vejo o contraste”, analisa. Sobre a vida pessoal, Rodrigo admite estar solteiro e acredita que o tempo é remédio para o fim de um relacionamento. Sobre sexo e amor, ele acha que os dois existem separados, mas que sexo com amor é infinitamente melhor. “Eu me respeito muito, não faço as coisas por fazer. Procuro me alinhar, conectar, com meu interior para ver o que interessa para mim”, afirma.

A apresentadora pede ao convidado que diga um defeito e uma qualidade profissional. “Acho que sou perfeccionista demais. E respeito muito meu trabalho”, avalia. Para o futuro, Rodrigo quer atuar mais nos palcos. “Sempre tive vontade, o teatro é tão prazeroso. O teatro é uma troca, para o ator preenche mais. Apesar de ter feito só uma peça, lembro dessa energia”, conta. Para finalizar o programa, Gabi e Rodrigo cantam o clássico da Bossa Nova “Desafinado”.

Frase do final do programa: “As pedras no caminho, eu as recolho. Um dia montarei um castelo” (Fernando Pessoa)

Marília Gabriela Entrevista no ar todo domingo, às 22h no GNT.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here