Geraldo Luis (Edu Moraes / Record TV)
Geraldo Luis (Edu Moraes / Record TV)

A carreira de Geraldo Luís na Record TV começou em 2007, no Balanço Geral SP. Fez tanto sucesso, que, nos últimos 12 anos, o apresentador comandou a atração em duas ocasiões, entre 2007 e 2009, e depois, de 2010 até 2014 .E agora, nesta segunda-feira, 30/09, o criador do famoso bordão “Balança!!!!!” retorna ao programa que o tornou conhecido no país.

Volto para o público que me consagrou, que continua lembrando do ‘Geraldo Balança’“, comemora o jornalista.

O apresentador estreia com novidades no programa. Animado com mais este desafio, ele irá acumular a função de apresentador com a de repórter. O contador de histórias promete ir às ruas para gravar matérias especiais que são a sua marca registrada.

Quando o factual exigir, e que graças a Deus  essa sensibilidade fique sempre comigo, eu preciso ir para rua, eu preciso ir para o povo. Primeiro, eu preciso ver gente, se eu vir só estúdio eu piro. Não adianta, é botar um gorila numa jaula, é trancar alguém que quer falar“, diz o apresentador.

O Balanço Geral continua com as notícias ao vivo, prestação de serviço, denúncias, casos curiosos, agora sob o comando de Geraldo Luís, que terá a companhia de colaboradores muito especiais: o anão Marquinhos, que já trabalhou com ele no programa, e sua esposa Juliana.

A Hora da Venenosa, quadro líder de audiência, também permanece na atração. Fabíola Reipert, Renato Lombardi e a cobra Judite ganham um novo companheiro para contar todas as histórias que os famosos não querem revelar.

Geraldo Luis mostra bastidores de gravações e faz mistério

Entrevista

Geraldo, você sente que está voltando para casa?

Estou voltando para casa, para o meu chão. Volto para o público que me consagrou, que continua lembrando do Geraldo Balança, das histórias de mistérios, da marca do jornalismo Record. Estou muito à vontade. Volto agora numa nova era, em que o jornalismo está muito mais forte, com uma credencial da agilidade da informação que só a Record TV tem. E, claro, com a Hora da Venenosa. Vai ser um encontro com uma amiga que conseguiu através de um jeito simples ser a pessoa mais amada e odiada do Brasil.

Você já tem nova ideias para a atração?

Eu quero aproveitar para fazer uma coisa que o jornalismo eternamente ensina, claro, para quem quer aprender, eu quero me reinventar mais uma vez, porque o Balanço Geral cabe tantas coisas tantas ousadias, tantas ideias. No Balanço Geral, a gente consegue nascer a cada programa, aprender a cada programa. São Paulo, Brasil, estou voltando!

Fabiola Reipert disse, em uma entrevista ao R7, que você iria tirar de letra o novo desafio, que você fala bem, tem linguagem popular, é um homem do povo.

O Balanço Geral foi a continuidade do meu trabalho em rádio. Eu fiquei 24 anos no rádio. Quando a Record me contratou, em 2007, eu falei, nossa, como vai ser agora? Quando comecei a falar, eu já vi um estúdio de rádio. O público é o grande termômetro.

Você tem uma grande facilidade de trabalhar ao vivo. Qual é seu segredo?

O segredo é você falar naturalmente, sabe aquela coisa do arroz com feijão? Se você souber fazer da sua vida o básico, o simples, já é um luxo.  A informação, a forma simples de você falar, é aquela forma conversada e o Balanço Geral deixa a gente à vontade para falar com o povo do jeito que o povo entende.

Você está preparado para brigar com a concorrência? Porque é um horário bem concorrido.

Olha, a Record sempre me colocou à frente de desafios. A vida é feita de desafios, e a disputa é uma coisa normal. A concorrência, ela nos enobrece, ela nos educa, ela nos doutrina. Ela nos estimula a nos tornarmos melhores. Estou feliz, respeito muito meus concorrentes, mas estamos aqui, à frente de uma grande emissora, de um grande programa que já balança a concorrência e com esse time que me deixa muito à vontade, mas principalmente com o time que me carrega na alma.

Além da Fabíola, você divide a bancada com Renato Lombardi, que é um jornalista renomado e cheio de prêmios. Como você vê isso?

Televisão é parceria, você não faz sucesso sozinho. Renato Lombardi, como Percival de Souza….A Record TV tem grandes patrimônios do jornalismo brasileiro. A gente se sente amparado, porque você não dá uma notícia sozinho, você não faz um comentário sozinho. E ao vivo é tudo muito perigoso, você tem que ter a sensatez, aliado com sua capacidade, com seu discernimento, com sua inteligência, com a sua velocidade. A notícia é rápida, você tem que ser tão rápido na análise quanto, mas sempre diante de uma coerência daquilo que você vai falar. E ter essas grandes feras, como Renato Lombardi, do meu lado, me dá tranquilidade.

Como você está preparando sua rotina para assumir um ao vivo de três horas de segunda a sexta?

Estou tranquilo. Para quem no domingo fica cinco horas no ar, está tudo certo. Eu estou feliz, eu faço o que eu quero, faço o que eu amo, estou bem de saúde, a Record TV mais uma vez acreditando, o público do outro lado esperando, o que mais eu quero? Sucesso é consequência de três coisas. Fama é uma coisa idiota, respeito é outra coisa, e isso só se consegue com uma coisa: trabalho, trabalho e trabalho.

Você foi repórter durante vinte anos, virou apresentador e não saiu das ruas. Agora vai ficar mais no estúdio ou podemos esperar o Geraldo nas ruas?

Eu não aguento ficar no estúdio não, eu não aguento ficar só no estúdio. É igual prender passarinho, não tem como. Quando o factual exigir, assim graças a Deus que essa sensibilidade fique sempre comigo, eu preciso ir para rua, eu preciso ir para o povo. Primeiro, eu preciso ver gente, se eu vir só estúdio eu piro. Não adianta, é botar um gorila numa jaula, é trancar alguém que quer falar. Então claro que eu quero que o povo continue falando, é claro que eu quero segurar esse microfone da Record e deixar as pessoas terem oportunidade de falar. O contador de histórias agora vai contar outras histórias reais, junto com a população, diante da marca do jornalismo Record. Geraldo nas ruas sempre!

Sobre Geraldo Luís

Geraldo Luís nasceu em Limeira, interior de São Paulo. Filho único, teve uma infância difícil, mas sempre contou com o apoio da mãe, Olga Moreira, já falecida. Estudou em escola pública, trabalhou desde os nove anos de idade e chegou a fazer teatro infantil.  Anos depois, trabalhou no IML. Ali, a voz marcante chamou a atenção de um repórter policial da rádio da cidade, que fez um convite para que ele fizesse um teste.

Cursou jornalismo em Piracicaba, e foi repórter policial de rádio 22 anos. Na Record TV estreou o Balanço Geral SP, em 2007, onde permaneceu até 2009. Depois, apresentou o Geraldo Brasil. Retornou ao Balanço Geral SP em 2010 e permaneceu no comando da atração até 2012, quando foi convidado para apresentar o Domingo Show.

O Balanço Geral SP vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h50 às 15h.

Veja também:

Pela primeira vez, Sabrina Sato fala sobre assumir o Domingo Show



10 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here