Mc Carol e Anitta – Reprodução: Instagram

Você se lembra que na semana passada, a funkeira MC Carol soltou o verbo contra a popstar brasileira Anitta? Na ocasião, a ‘poderosa’ afirmou que foi ela quem abriu o espaço para as mulheres cantarem funk: “Só existiam homens cantando. E agora no Brasil, há muitas mulheres cantando”.

+ Anitta relembra brigas com o irmão na infância

Após tomar conhecimento da fala de Anitta, algumas funkeiras, Junto de Mc Carol, começaram a criticar. A crítica da cantora em questão, é claro foi mais contundente: “Gente como assim?! Quem abriu caminho foram as primeiras mulheres que entraram no funk, numa época que funkeiro era morto, levava tiro, era visto como bandido e além dessas mulheres ter coragem de entrar nessa época, ainda eram desvalorizadas e humilhadas, pelo fato de ser mulher”, disse ela.

Através de suas redes sociais, a ‘poderosa’, em resposta a uma das críticas, se desculpou pelo o que afirmou. Em uma espécie de desabafo, a cantora ressaltou o quanto respeita as cantoras:

+ Anitta abre o jogo e gera polêmica ao revelar exigências entre quatro paredes

“Assisti e queria te responder porque eu respeito muito você, a Tati Quebra Barraco, MC Sabrina, Perlla, e várias outras mulheres do funk que eu cresci ouvindo e me fizeram ter minhas referências de funk feminino. Sempre respeitarei vocês. Acho que fui mal interpretada e gostaria muito de te explicar o que eu quis dizer. O funk sempre viveu de altos e baixos. Quando eu comecei, estava novamente no momento onde não tocava em programação diária de rádio que não fossem específicas do funk. Não era respeitados em grandes festivais renomados no Brasil. O que eu quis dizer foi que eu e minha equipe batalhamos muito pra isso, e eu, particularmente, sofri muito para conquistar certos tipos de reconhecimentos fora do nosso nicho das pessoas que já curtiam e entediam o funk”.

 Após barraco, Anitta e Ludmilla se prejudicam nos bastidores da Globo

Anitta conclui que também sofreu bastante preconceito no início de sua carreira: “Eu quis passar uma experiência minha, que eu vivi, de muito preconceito e falta de aceitação quando estava fora dos círculos funkeiros. Espero que você entenda. Máximo respeito a todas as mulheres que tiveram e tem coragem de cantar funk e enfrentar os preconceitos”, afirmou.

Desabafo da cantora – Reprodução: Instagram


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here