Xexéu – Reprodução: Instagram

O vídeo do cantor Xexéu, ex-vocalista da banda ‘Timbalada’, em que ele aparece visivelmente alterado após uma possível recaída de drogas, viralizou na web e causou preocupação em diversos internautas.

A situação foi tão grave que até o apresentador Geraldo Luis, responsável pelo Balanço Geral, se pronunciou nas redes sociais e lamentou o estado do seu amigo, Além disso, ele fez questão de oferecer ajuda caso o mesmo realmente quisesse.

+ Geraldo Luis lamenta situação de famoso cantor que teve recaída nas drogas

Neste último dia 01, o cantor se pronunciou sobre o vídeo em uma entrevista ao site Bahia News, em que falou sobre o seu momento atual e sua relação com a música.

Xexéu começou falando sobre o compartilhamento do vídeo, que na opinião dele, foi muito antiético:  “Eu não vou comentar sobre isso porque foi muito antiético pra mim, que ando em todo tipo de favela. Eu sou apaixonado pelo Nordeste de Amaralina, por esse bairro. Eu fico muito chateado com as pessoas que gostam de viralizar. Essas pessoas não sabem que Xexéu começou no samba de roda, que Xexéu lutou pra caramba pra ser cantor. Xexéu faz dez coisas boas, quando faz uma ruim, ela viraliza”, disse ele.

Em seguida, ele falou sobre as drogas e negou que precise de tratamento: “A droga é um psicotropico. Não é droga que mata o homem, é a pressão psicológica. Eu não quero ajuda, eu quero ser verdadeiro no que eu faço. Se eu tivesse usando drogas, eu não falaria essas palavras que estou falando hoje. Não (preciso de tratamento), porque eu não estou dependente da droga. Se eu estivesse precisando de tratamento, eu já teria feito porque não sou maluco”.

No final da entrevista, Xexéu falou sobre a sua carreira e como está a sua vida fora da mídia: “A maior fortaleza do homem é quando ele está fora da mídia, ninguém observa ele, mas ele não se mata, como aconteceu com Champignon e Chorão, porque o diabo quer isso. A gente nunca vai fazer isso porque a gente ama o que a gente faz.”

Em seguida, ele continua: “Eu tô sem credibilidade. Eu assumo muito quem eu sou. Hoje eu não tenho oportunidade na música, eu não me humilho pra poder tocar. Mas no momento que a gente voltar a gente vai trazer alegria. A alegria do povo da no coração de quem canta a verdade. O dinheiro é só consequência”.

Para finalizar, ele falou sobre a falta de reconhecimento: “Erro todo mundo tem. Você sabe do meu esforço, da minha capacidade e do que eu fiz pela música. Agora, a fraqueza serve pra a gente também ser recompensado pelo que a gente fez de bom. Eu tenho muita música bonita, muita coisa boa. O problema é que eu não quero me humilhar a ninguém. A gente tinha uma voz que não era a melhor do que a de todo mundo, mas uma voz que impactou. Era uma voz que ninguém imaginava que ia sair do Nordeste de Amaralina para o mundo. Hoje eu sinto na pele uma coisa chamada de falta de reconhecimento”.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here