Jessica Senra e goleiro Bruno / Foto: Reprodução

A jornalista Jessica Senra, que é apresentadora da TV Bahia, filiada da Rede Globo, fez um desabafo muito sincero para falar sobre o motivo de discordar da contratação do goleiro Bruno, que foi condenado por matar Eliza Samudio, mão do seu filho.

O time que estava de olho nele era o Fluminense de Feira de Santana, e após surgir as notícias sobre a possibilidade dele ir para o clube, a profissional expôs seu ponto de vista sobre o caso e ressaltou que acredita, sim, que as pessoas que já cumpriram sua pena precisam refazer sua vida, no entanto, ela afirmou que acha ser imoral a contratação por um time de futebol que faz com que o ex-presidiário ganhe o rótulo de “ídolo”.

“Estou sem acreditar”, diz Jessica Senra após entrar para rodízio fixo do ‘Jornal Nacional’

No seu perfil oficial do Instagram, Jessica compartilhou o vídeo onde aparece no jornal criticando a contratação do goleiro Bruno e na legenda reforçou o seu ponto de vista. “Por que sou contra a contratação de um feminicida no esporte. Eu acredito na recuperação do ser humano. Acredito que a maioria das pessoas merece outras chances depois que comete erros, porque errar é da essência humana. O perdão é um dos sentimentos mais belos que podemos cultivar”, afirmou ela.

“Mas perdoar alguém não significa esquecer o que esse alguém fez nem permitir que esse alguém continue em nossa vida. Perdoar e dar uma nova chance não apaga o que foi feito, não se pode fingir que nada aconteceu. Embora juridicamente o cumprimento de uma pena libera o condenado para seguir sua vida normalmente, é socialmente que precisamos pensar no que toleramos ou não. Nem tudo é apenas questão de lei. Há comportamentos legais que são imorais”, reforçou.

“Um condenado pode e deve ser ressocializado. Deve merecer uma segunda chance. Mas penso que, depois de um crime tão perverso, voltar a ser ídolo, a estar numa posição que lhe confere status de ídolo, é bastante questionável. Penso que o feminicida deve voltar ao trabalho, mas não no futebol, não como ídolo. Defendo sua ressocialização, mas longe de qualquer torcida. E isso não é a lei que vai decidir. É a sociedade. E se ele tivesse estuprado um bebê? O que os “fãs” diriam?”, indagou Jessica.

Jessica Senra presenteia Renata Vasconcellos e William Bonner

Em seguida ela relembrou um caso polêmico: “Lembro que há pouco mais de dois anos, jogadores foram flagrados num vídeo masturbando uns aos outros no vestiário de um clube gaúcho. Os quatro jogadores foram dispensados. Seus nomes, inclusive, foram poupados para evitar que eles fossem banidos do futebol. E é bom que fique bem claro: eles não cometeram crime algum, não fizeram nada contra a vontade de ninguém! Mas, absurdamente, a homossexualidade ainda é intolerável no futebol. Ser feminicida é aceitável? O que você pensa disso? #NãoAoFeminicídio”, finalizou a jornalista.

Assista ao vídeo:

View this post on Instagram

Eu acredito na recuperação do ser humano. Acredito que a maioria das pessoas merece outras chances depois que comete erros, porque errar é da essência humana. O perdão é um dos sentimentos mais belos que podemos cultivar. Mas perdoar alguém não significa esquecer o que esse alguém fez nem permitir que esse alguém continue em nossa vida. Perdoar e dar uma nova chance não apaga o que foi feito, não se pode fingir que nada aconteceu. Embora juridicamente o cumprimento de uma pena libera o condenado para seguir sua vida normalmente, é socialmente que precisamos pensar no que toleramos ou não. Nem tudo é apenas questão de lei. Há comportamentos legais que são imorais. Um condenado pode e deve ser ressocializado. Deve merecer uma segunda chance. Mas penso que, depois de um crime tão perverso, voltar a ser ídolo, a estar numa posição que lhe confere status de ídolo, é bastante questionável. Penso que o feminicida deve voltar ao trabalho, mas não no futebol, não como ídolo. Defendo sua ressocialização, mas longe de qualquer torcida. E isso não é a lei que vai decidir. É a sociedade. E se ele tivesse estuprado um bebê? O que os “fãs” diriam? Lembro que há pouco mais de dois anos, jogadores foram flagrados num vídeo masturbando uns aos outros no vestiário de um clube gaúcho. Os quatro jogadores foram dispensados. Seus nomes, inclusive, foram poupados para evitar que eles fossem banidos do futebol. E é bom que fique bem claro: eles não cometeram crime algum, não fizeram nada contra a vontade de ninguém! Mas, absurdamente, a homossexualidade ainda é intolerável no futebol. Ser feminicida é aceitável? O que você pensa disso? #NãoAoFeminicídio

A post shared by Jessica Senra (@jessicasenra) on



56 COMENTÁRIOS

  1. Um cara que matou pelo motivo mais torpe e covarde (não queria pagar pensão para o filho que tinha com a vítima) e da forma mais hedionda (servindo pedaços a cachorros) não deveria sair da jaula nunca. Lá é o lugar certo para feras bestiais como ele. Pagou o "erro" uma pinóia. Esse erro é impagável. Infelizmente, no Brasil é assim: leis feitas por bandidos para bandidos dá nisso.🤔

  2. Concordo plenamente com ela ! Esse cara não ê ídolo de nada , é um assassino e perverso, e a justiça devia cobrar e cobrar dele , cadê os restos mortais da mãe do filho dele , ele deve isso a família! Esse monstros

  3. O perdão quando sincero é um esquecimento pra um renascimento de uma nova vida.
    E se ela fala que tods tem q ter uma chance. Pq ele tbm ñ pode ter.
    Ele errou lógico foi triste mas somente Deus tem o poder de nos julgar.
    É se ele tinha que está n cadeia pq o juiz deu a ele liberdade.
    E tantos outros que também cometeram crimes bárbaros como ele estão por aí.
    A justiça brasileira é falha

  4. Ela está sendo preconceituosa, se outros que cometem crimes devem ter outra chance, por ele não? Porquê outras promoções podem, e a dele não? Se ele cumpriu sua Pena imposta pela justiça então deve ter uma chance, ou mudar a lei, admitir a prisão perpétua…

  5. Parabéns Jéssica. Vamos parar com essa conversa de que só Deus pode julgar. Quero ver esses bonzinhos que falam isso se um dia aparecer um marginal igual a esse e fizer o mesmo com a filha deles, se vão pensar da mesma forma. Deixem de serem falsos.

  6. Quantas pessoas mataram esposas, filhos etc.. É estão soltos, os políticos que sucatearam o PAIS e aí estão SOLTOS e essa MERDA da GLOBOSTA não DIVULGAM NADA. Pra começar a lei nossa é deficiente, onde a própria diz que NAO HAVENDO CORPO NAO HÁ CRIME. Pergunto pra essa repórter: Onde está o corpo da MULHER? O cara já pagou mais de 1/3 da pena e merece ter a oportunidade de trabalho. Se voltar a ser um ÍDOLO do futebol o que é que TEM? É a profissão DELE ou você ARRUME um trabalho à ele pra GANHAR seu DINHEIRO e onde ele NAO POSSA SER ÍDOLO.

  7. Interessante que hoje mesmo ela exibiu uma reportagem sobre presidiários que vão reconstruindo suas vidas, muitas dos quais estão presos pelo mesmo crime que ele cumpriu pena. Ela tem que se decidir: ou é contra ou é a favor da ressocialização do ex condenado, pois até agora ela só se mostrou hipócrita.

  8. ta serto moça . nimguem de nos podemos tirar avida uns dos outros. o sofrimento é igual atodos esas pessoas devem ter a segunda chançe . mas em outro patamar. tem uma passagem na biblia em q.CAIM matou ABEL. Deus dise a ele caim naõ adianta vc escomderse de mim pois vc irapagar por oq.vc fes . ai fica adica

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here