Kaysar/ Instagram
Kaysar Dadour reprodução Instagram

Kaysar Dadour está atualmente na “Dança dos Famosos”, quadro do programa “Domingão do Faustão”, ele é dos participantes. Nascido em Alepo, na Síria, Kaysar deixou sua cidade natal em 2011, ficou conhecido do grande público após participar do reality Big Brother Brasil 18.

+Emocionado, Kaysar Dadour lamenta perda na web e desabafa: “Medo do futuro”

Na sua participação deste domingo (13), ao chegar na hora de sua apresentação ele aproveitou o momento e fez uma revelação. O ex BBB e agora ator, no programa ao vivo, antes de sua apresentação revelou que finalmente conseguiu passar no processo de naturalização brasileira.

Agora ele já pode ser considerado um cidadão do país. “Já sou brasileiro, prometo que vou honrar minha cidadania”, falou o famoso, bastante emocionado. O apresentador Fausto Silva comemorou junto com o artista e ainda completou: “Ele adotou o Brasil e o Brasil adotou ele”.

Agora sou brasileiro de coração e documento”, falou Kaysar, antes de se apresentar com a sua professora de dança, Mayara Araújo.

+Kaysar Dadour surpreende, revela agressão e risco de vida

Depois de ter participado e ter sido um dos finalistas do BBB18, Kaysar seguiu os caminhos da atuação, e acabou se tornando uma grata surpresa ao público e seus fãs atuando na novela ‘Órfãos da Terra’ e da ‘Dança dos Famosos’.

+Destaque em ‘Órfãos da Terra’, ex-BBB Kaysar Dadour choca com novo visual e divide opiniões em click

Em recente bate-papo com Pedro Bial, o sírio revelou sobre a situação de refugiado . “Minha casa é o mundo. Saí de lá em 2011, nunca mais voltei. Começaram manifestações na rua, a gente não estava acostumado a ver isso, foi ficando mais perigoso. Os países mais fáceis de eu chegar eram Ucrânia, Rússia ou Bielorrússia. Peguei o visto de estudante e fugi para a Ucrânia”, explicou.

Aos 30 anos, ele falou ainda do quanto preconceito sofreu; “Tinham preconceito contra mim, me prejudicou muito. Eu sou cristão, na Ucrânia tem muitas religiosidades. O povo é bom, mas tem muitos radicais. Na Síria o relacionamento é muito bom entre cristãos e muçulmanos, mas lá não aceitam. Tenho orgulho de ser cristão. Quando viram meu crucifixo, foi muito forte. Surra? Quem me dera. Tenho [fraturas] no corpo todo”, disse.



10 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here