Ariana Grande/Instagram
Ariana Grande/Instagram

No dia 16 de agosto, a música internacional perdeu uma de suas grandes vozes. Aretha Franklin, conhecida como “Rainha do Soul”. Lutando contra um câncer desde 2010, ela acabou falecendo.

Nesta sexta-feira (31), ocorreu o funeral da cantora, em Detroit, nos Estados Unidos.

Uma das convidadas para homenagear a estrela da música americana foi Ariana Grande. No Greater Grace Temple, local onde ocorreram os atos fúnebres, Ariana emprestou sua voz para interpretar os grandes sucessos da musa do soul, entretanto, acabou no meio de uma polêmica.

Assédio

Em vídeos compartilhados nas redes sociais, internautas estão acusando o pastor Charles Ellis de assediar Ariana durante sua participação na cerimônia.

Após cantar “(You Make Me Feel Like) A Natural Woman“, Ariana foi abraçada pelo pastor, que passou a mão por baixo do seio da cantora, apertando-o com os dedos.

Veja:

“Este pastor homem é muito nojento. Olhem a cara de Ariana de total desconforto”, diz o tweet publicado com a hashtag #RespectAriana (Respeite Ariana).

Além do gesto considerado inadequado, Charles também fez um comentário considerado racista.

Logo após a notícia da morte de Aretha, o ator norte-americano Jimmy Fallon, que conduz um talk-show na TV americana, fez um tributo à cantora e Ariana foi uma das convidadas.

Fazendo referência a essa apresentação, o pastor declarou: “Quando eu vi Ariana no programa, achei que era algo novo no Taco Bell” (cadeia estadunidense de restaurantes de fast-food, inspirada pela culinária mexicana).

O comentário foi considerado racista, uma vez que Ariana, que tem descendência italiana, não teria nenhuma relação com a gastronomia do México.

Usuários do Twitter no Brasil também levantaram a hashtag #RespectAriana e deixaram registrado seu repúdio pela atitude do religioso.

Veja alguns tweets:

Confira também:

Su Tonani falará pela primeira vez sobre assédio envolvendo José Mayer



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here