Xuxa e Vera Fischer /Reprodução Instagram

Você já ouviu falar em um filme polêmico que a atual apresentadora da Record, Xuxa Meneghel fez parte? Pois bem, os bastidores do longa ‘Amor Estranho Amor’ é colecionado de controversas, entre elas, uma cena em que a ‘rainha dos baixinhos’ tem relações com um menino de apenas 12 anos.

Uma das protagonistas, Vera Fischer, usou as redes sociais para falar sobre o filme. ‘Amor Estranho Amor’ lhe rendeu um prêmio conceituado de cinema. Orgulhosa, ela fez elogios a trama:

“‘Amor Estranho Amor’, de Walter Hugo Khouri, foi um filme delicado, silencioso, lindo de fazer. Ele era um diretor único. Privilegiava os closes. Foi neste filme que eu tive que esbofetear a personagem da Xuxa, porque ela dava em cima do meu filho, um adolescente. Foi com este filme que eu ganhei o meu segundo prêmio Air France de Cinema, o que me deixou muito orgulhosa. Mas, tenho orgulho de todos os meus trabalhos”.

View this post on Instagram

Meus amores, o TBT de hoje resolveu ser malcriado e me dar trabalho, fazer o que? Vou tentar lembrar… em 1970 eu fiz um filme chamado "As mulheres que fazem diferente”, do Victor Mello (não sei o que elas faziam de diferente… sei que filmamos em Salvador – talvez elas fizessem moquecas, acarajés, vatapás diferentes… vai saber!) Na novela “Agora é que são elas”! Fiz par romântico com Miguel Falabella. Seguinte: a gente inventava de gravar cenas grandes sem ensaiar, e a gente adorava quando dava certo. E quando não dava, a gente errava, o Miguel dizia: "Ih, fomos abduzidos”! E a gente ria. A gente ria a novela inteira. Muito gostoso. Perry Salles e eu montamos a peça “Negócios de Estado”, com direção do genial Flávio Rangel, nos anos 80, uma peça refinada, glamourosa, alta comédia, um sucesso absoluto, que rodou o Brasil por três anos seguidos, nos trazendo muita felicidade. Outra peça que me trouxe muitas alegrias foi “Gata em teto de zinco quente”, produção que eu banquei por muito tempo, com um público imenso, e que tinha no elenco o meu querido ator Ítalo Rossi, que era muito brincalhão e que sempre me dava ótimos conselhos depois do café da manhã. Saudades! "Navalha na carne", de Plínio Marcos, foi filmado inteiramente na Lapa, à noite, durante dois meses. Eu sofria o filme inteiro, apanhando do meu gigolô, caindo no asfalto e chorando. Claro que eu era prostituta Neuza Sueli, quase uma santa. Tanto que, no final do filme, ela aparece crucificada como Jesus Cristo, foi um trabalho muito barra pesada! Já “Amor estranho amor”, de Walter Hugo Khouri, foi um filme delicado, silencioso, lindo de fazer. Ele era um diretor único. Privilegiava os closes. Foi neste filme que eu tive que esbofetear a personagem da Xuxa, porque ela dava em cima do meu filho, um adolescente. Foi com este filme que eu ganhei o meu segundo prêmio Air France de Cinema, o que me deixou muito orgulhosa. Mas, tenho orgulho de todos os meus trabalhos. Bons, médios, ruins. Foi o que pude fazer. E a gente só aprende, fazendo. Sempre. Sempre.

A post shared by Vera Fischer (@verafischeroficial) on

Revelação sobre o maridão Junno

Revelações quentes da apresentadora da Record TV. Xuxa esteve presente no lançamento de uma nova campanha de uma clínica de depilação, na qual é garota propaganda. Durante uma entrevista para os jornalistas do local, a famosa contou detalhes íntimos do amado, Junno Andrade. Veja!

Marido e a ‘lei-seca’

O namorado da apresentadora Xuxa MeneghelJunno Andrade deu uma verdadeira aula de cidadania nesta última quinta-feira (25). O ator e apresentador usou as redes sociais para compartilhar momentos de quando foi parado pela polícia do Rio de Janeiro em uma blitz da ‘Lei Seca’.

Vale lembrar que aqui no Portal Área VIP já noticiamos inúmeros casos de celebridades que foram parados pela polícia provando que, a lei é para todos. Junno Andrade, mostrando ser um cidadão de bem, fez o teste do bafômetro sem nenhum receio. Confira!

Veja também:

Junno posta mensagem emocionante para comemorar o aniversário de Xuxa

 



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here