Globo Logo/Reprodução
Globo Logo/Reprodução

É polêmica! Nos últimos meses, uma greve tomou de conta da TV Gazeta, afiliada da Globo em Alagoas. O escândalo, inclusive, motivou o canal a demitir em torno de 15 jornalistas e apresentadores, mas, foi acusada de promover retaliações contra jornalistas que aderiram à greve, e foi obrigada a reintegrá-los pela Justiça.

De acordo com informações do jornalista Ricardo Feltrin, do portal UOL, a emissora acatou a decisão, mas passou a rebaixar os profissionais de cargo, com redução nos ganhos, benefícios e afins. O que se fala é que editores foram promovidos a produtores, enquanto apresentadores se tornaram editores, e produtores foram trocados de postos e remanejados para outros cargos.

Inclusive, âncoras e comentaristas, com anos de trabalho dentro da emissora que enfrente uma grave crise, foram afastados de suas atividades, como apresentadores das versões locais do ‘Bom Dia Região’, ‘Globo Rural’, ‘Globo Esporte’ e ‘PraçaTV’. Como se já não bastasse, Luís Amorim, diretor-executivo, está sendo investigado pela Lava-Jato, deixando a rede alvo de escândalo político. Sendo assim, nos próximos dias, é cogitado uma espécie de leilão que colocará o prédio que sedia a emissora, à venda, a fim de pagar as dívidas. Que situação…

A onda de demissões

Os jornalistas realizaram uma grande greve no último dia 24 de junho, após negociação do sindicato com empresas de comunicação para reajuste salarial em Alagoas. As negociações desandaram, e diante dos rumos que tomou, motivou o manifesto de vários profissionais. Promovendo um verdadeiro caos nos bastidores das emissoras, após todo o movimento, foram demitidos cerca de pelo menos 15 jornalistas nesta última quinta-feira (4), após o retorno às atividades.

De acordo com informações do site UOL, os demitidos atuavam em canais filiais da Globo, como a TV Gazeta de Alagoas, TV Mar, canal de TV por assinatura, e o portal G1. Claro que, tudo tem um motivo, e as demissões aconteceram justamente em virtude do descumprimento à determinação do TRT (Tribunal de Justiça do Trabalho), que garantiu a estabilidade dos jornalistas que participaram da paralisação neste período. Confira em detalhes!

Veja também:



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here