Fernanda Gentil / Instagram

Na última quarta-feira (13) uma tragédia aconteceu na cidade de Suzano, São Paulo. Um adolescente invadiu uma escola matando alunos, funcionários e deixando outros feridos.

Neste sábado (16), dias após a tragédia, a apresentadora Fernanda Gentil usou suas redes sociais para fazer uma reflexão sobre os últimos acontecimento. Ela falou sobre os jogos, sobre as mães que perdem filhos, sobre a falta de amor, armas e deixou um recado de solidariedade as famílias e todos que os seus seguidores.

“Não há o o que escrever diante de um episódio tão doloroso, sofrido e inexplic— inexplicável, não. Aliás enquanto eu não escrevia sobre Suzano, lia muitas verdades sobre falta de amor, educação, cuidado, olho no olho e diálogo. Também sobre excesso de jogos e armas. Concordo com tudo. Falta amar, sobra arma. Arma. Amar. Letras iguais. Efeitos opostos”, começou o texto

“A saga por explicação mostra que não entendemos o motivo. E se não entendemos, é porque não fazemos. Mas não fazemos o que? Abrir fogo em uma escola? De fato, não. Mas entendemos que não começou no aperto do gatilho? Também não. Li que quando uma mãe perde um filho, todas as outras mães perdem um pouco também. Concordo de novo. Mas não só isso: perde quem é mãe, pai, ou ser humano”.

“Mais do que nunca a solidariedade e a perplexidade das pessoas têm mostrado que o que a gente acha que nunca vai acontecer com a gente, está acontecendo com gente como a gente. Entendemos – entendemos, né????? – que agora que está feito (mais um) estrago, é nosso dever não deixar que isso se repita em outro lugar…. inclusive na nossa casa”.

VAMOS PARAR!!! Olhar para os nossos filhos! Perguntar o que houve! O motivo do mau humor, a razão da gargalhada. Fazer o dever junto. Vamos levar e buscar. Estar acordado quando chegarem em casa. Querer saber quem é aquela companhia – por mais que a resposta seja um silêncio encabulado. Mas deixemos que eles saibam que não estão sozinhos. Que a gente abandone o curto e automático caminho da criação; e escolha, todos os dias, o difícil e cansativo caminho da educação. Porque ao primeiro sinal de que eles entenderam o recado, esse caminho torna-se completamente recompensador”.

“Dito isso, meus mais profundos, sinceros, solidários e verdadeiros abraços nessas famílias que, tenho certeza, só gostariam de acordar desse pesadelo. E ainda para elas, mas também para a minha família, e todas as outras que lerem isso: por mais difícil que seja entender algo assim, façamos por onde para que nossos filhos não parem de acreditar no que há de mais rico nas histórias que lemos para eles: no fim, o bem sempre vence o mal”, finalizou.

Veja o post – Deslize:

View this post on Instagram

Não há o o que escrever diante de um episódio tão doloroso, sofrido e inexplic— inexplicável, não. Aliás enquanto eu não escrevia sobre Suzano, lia muitas verdades sobre falta de amor, educação, cuidado, olho no olho e diálogo. Também sobre excesso de jogos e armas. Concordo com tudo. Falta amar, sobra arma. Arma. Amar. Letras iguais. Efeitos opostos. A saga por explicação mostra que não entendemos o motivo. E se não entendemos, é porque não fazemos. Mas não fazemos o que? Abrir fogo em uma escola? De fato, não. Mas entendemos que não começou no aperto do gatilho? Também não. Li que quando uma mãe perde um filho, todas as outras mães perdem um pouco também. Concordo de novo. Mas não só isso: perde quem é mãe, pai, ou ser humano. Mais do que nunca a solidariedade e a perplexidade das pessoas têm mostrado que o que a gente acha que nunca vai acontecer com a gente, está acontecendo com gente como a gente. Entendemos – entendemos, né????? – que agora que está feito (mais um) estrago, é nosso dever não deixar que isso se repita em outro lugar…. inclusive na nossa casa. VAMOS PARAR!!! Olhar para os nossos filhos! Perguntar o que houve! O motivo do mau humor, a razão da gargalhada. Fazer o dever junto. Vamos levar e buscar. Estar acordado quando chegarem em casa. Querer saber quem é aquela companhia – por mais que a resposta seja um silêncio encabulado. Mas deixemos que eles saibam que não estão sozinhos. Que a gente abandone o curto e automático caminho da criação; e escolha, todos os dias, o difícil e cansativo caminho da educação. Porque ao primeiro sinal de que eles entenderam o recado, esse caminho torna-se completamente recompensador. Dito isso, meus mais profundos, sinceros, solidários e verdadeiros abraços nessas famílias que, tenho certeza, só gostariam de acordar desse pesadelo. E ainda para elas, mas também para a minha família, e todas as outras que lerem isso: por mais difícil que seja entender algo assim, façamos por onde para que nossos filhos não parem de acreditar no que há de mais rico nas histórias que lemos para eles: no fim, o bem sempre vence o mal.

A post shared by Fernanda Gentil (@gentilfernanda) on

Fátima Bernardes desabafa após tragédia em Suzano: “Precisamos refletir”

Fátima Bernardes/Reprodução Instagram
Fátima Bernardes/Reprodução Instagram

A apresentadora Fátima Bernardes demostrou comoção com a tragédia que aconteceu em uma escola de Suzano, na região da grande São Paulo, na manhã desta última quarta-feira (13). O ataque de dois ex-alunos do colégio deixou crianças e profissionais da educação mortos.

Em suas redes sociais, a apresentadora do ‘Encontro‘, falou sobre o massacre que tirou a vida de 8 pessoas e dos assassinos. Fátima Bernardes publicou uma foto de uma espécie de vigília de crianças e, no espaço da legenda, lamentou e desejou forças a família. Veja o post!

Veja também: 



12 COMENTÁRIOS

  1. Concordo ,nas também falta nais atenção dos pais para com seus filhos . So nas redes sociais ,pous é naus comoda ,não tem perturbação na cabeça . E ai que corre o perigo . Tem crianças jovens que fica o dia todo. E os pais preferem ingnorar.

  2. Interessante é que desde sempre as armas ilegais que abastecem o crime passaram livremente pela fronteira do Paraguai e essas "celebridades " nunca se manifestaram.a partir de primeiro de Janeiro desse ano todo mundo acordou para a corrupção e a violência.

  3. Sinceramente que reflexao é essa???? falta sim pai e mãe que acompanhe seus filhos ,que participe de suas vidas, já que colocaram no mundo assumam e não deixe para que vó e vô crie, esses já fizeram sua parte.

  4. Eu não culpo a criação de pai e mãe nenhum pois isso é da índole de cada um pois em minha família éramos 15 irmãos pois todos tiveram a mesma educação e só um foi pro lado errado então a culpa é de quem ??? Bom dia à todos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here