Leo Dias – Reprodução/TV Gazeta

Leo Dias surpreendeu seus seguidores das redes sociais ao fazer uma publicação na manhã deste domingo (8). Ele decidiu falar abertamente sobre um problema que ele luta há anos: o vício nas drogas.

O jornalista postou uma imagem onde mostra a definição da palavra “escravidão”, no dicionário, e fez um longo desabafo na legenda, dizendo o quanto a sua profissão também colabora para a sua agitação.

Novo contratado, Leo Dias terá privilégios dentro da RedeTV!

“Se existe alguém transparente nessa vida, esse alguém sou eu. Mas eu refiro-me a algo que foge totalmente ao meu controle. Sou um péssimo ator, não sei viver personagens e nem é preciso me conhecer muito para que, em alguns segundos olhando para mim, você já perceba alguma coisa”, começou ele.

“E por isso que está claro para qualquer imbecil que meus últimos meses foram de altos e baixos do meu lado mais obscuro, a droga. Há alguns anos (tentando) fazer terapia especializada em compulsões, chegamos a conclusões de que os fatores externos profissionais abalam demais a minha saúde mental e me faz procurar a droga”, continuou.

“Mas porque eu procuro algo que eu sei que tem consequências terríveis para a minha vida? Uma das razões é fuga, sim, simplesmente fuga. Justamente eu, que pareço tão corajoso, fujo para não encarar de frente os meus problemas. Logo em uma das minhas primeiras sessões de terapia, Dra Ângela falou uma frase que nunca mais saiu da minha cabeça: ‘Sua profissão é insalubre'”, continuiu.

“Como assim? Em outras palavras, ela quis dizer que eu deveria mudar de profissão. Ao invés disso, eu decidi mudar o jeito de exercer a minha profissão. Peguei mais leve, e, de fato, a minha vida melhorou. Quando eu me internei em Paulínia, eu descobri outro grave gatilho. As minhas frustrações e decepções me levam também às recaídas. E ultimamente, foram muitas”, acrescentou ele.

Leo Dias detona Anitta: “Ela me usou bastante”

“Não quero citar nomes, mas vocês sabem que me refiro às minhas brigas públicas com pessoas que eu considerava leais. Não estou culpando ninguém. O único culpado sou eu. Porque eu estou escrevendo isso em uma rede social? Porque eu recebo centenas de mensagens diárias de gente se preocupando comigo”, justificou.

“O mais recente alerta veio da Xuxa, que disse que eu estava ‘agitado demais’. Aí eu fui tentar explicar que desde a infância eu sou assim…. Balela. Mais uma fuga. O que eu quero dizer é que, na manhã deste domingo, eu cheguei à seguinte conclusão: eu cansei! E estou velho demais para que esses gatilhos ainda existam”, lembrou.

“E veja só como Deus é bom comigo: mesmo com esse mega problema eu consigo ser um dos melhores da minha profissão. Como pode? Resumo: chega! Tô exausto desse vai-e-vem, desse sobe-e-desce! Sobre a imagem acima: adição é escravidão”, finalizou.

View this post on Instagram

Se existe alguém transparente nessa vida, esse alguém sou eu. Mas eu refiro-me a algo que foge totalmente ao meu controle. Sou um péssimo ator, não sei viver personagens e nem é preciso me conhecer muito para que, em alguns segundos olhando para mim, você já perceba alguma coisa. E por isso que está claro para qualquer imbecil que meus últimos meses foram de altos e baixos do meu lado mais obscuro, a droga. Há alguns anos (tentando) fazer terapia especializada em compulsões, chegamos a conclusões de que os fatores externos profissionais abalam demais a minha saúde mental e me faz procurar a droga. Mas pq eu procuro algo que eu sei que tem consequências terríveis para a minha vida? Uma das razões é fuga, sim, simplesmente fuga. Justamente eu, que pareço tão corajoso, fujo para não encarar de frente os meus problemas. Logo em uma das minhas primeiras sessões de terapia, Dra Ângela falou uma frase que nunca mais saiu da minha cabeça: “Sua profissão é insalubre” Como assim? Em outras palavras, ela quis dizer que eu deveria mudar de profissão. Ao invés disso, eu decidi mudar o jeito de exercer a minha profissão. Peguei mais leve, e, de fato, a minha vida melhorou. Quando eu me internei em Paulínia, eu descobri outro grave gatilho. As minhas frustrações e decepções me levam também às recaídas. E ultimamente, foram muitas. Não quero citar nomes mas vocês sabem que me refiro às minhas brigas públicas com pessoas que eu considerava leais. Não estou culpando ninguém. O único culpado sou eu. Porque eu estou escrevendo isso em uma rede social? Porque eu recebo centenas de mensagens diárias de gente se preocupando comigo. O mais recente alerta veio da Xuxa, que disse que eu estava “agitado demais”. Aí eu fui tentar explicar que desde a infância eu sou assim…. Balela. Mais uma fuga. O que eu quero dizer é que, na manhã deste domingo, eu cheguei à seguinte conclusão: eu cansei! E estou velho demais para que esses gatilhos ainda existam. E veja só como Deus é bom comigo: mesmo com esse mega problema eu consigo ser um dos melhores da minha profissão. Como pode? Resumo:chega! Tô exausto desse vai-e-vem, desse sobe-e-desce ! Sobre a imagem acima: adição é escravidão

A post shared by Leo Dias (@leodias) on



5 COMENTÁRIOS

  1. Lêo Dias, de que adianta você ser tão bom na sua profissão, usando as drogas como refúgio? Você seria melhor ainda se conseguisse ser sincero com você mesmo e acreditar que todos nós temos frustrações e eu te garanto nenhum vício serve como anti estresse. Fui fumante durante 32 anos e há 3 anos e 4 meses estou tentando me manter mais 1 dia sem tabaco, e posso te garantir continuo tendo frustrações, problemas e muita luta. Comecei ingerir bebida alcoólica aos 16 anos e bebi durante vários anos, fiz muita merda, mais há 14 anos estou limpa e continuo engolindo um dragão por dia, não é fácil e queria apenas te incentivar. Com ou sem drogas você precisa prosseguir e encarar um novo desafio…então tente se manter livre, não pelos outros e sim por você. Acredite você tem tudo! Eu acredito em você! E você acredita em você?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here