Sheron Menezzes / Instagram

Longe das novelas desde ‘Novo Mundo’, Sheron Menezzes volta em ‘Bom Sucesso’, próxima novela das sete da Globo, com uma personagem que promete balançar a opinião do público.

Na trama de Rosane Svartman e Paulo Halm, a atriz vai dar vida à Gisele, uma mulher duas caras. Ela será secretária de Nana (Fabíula Nascimento) e terá um caso com o marido da chefe, Diogo (Armando Babaioff). Juntos, o casal vai planejar roubar a fortuna de Alberto (Antonio Fagundes), que é dono da editora e pai de Nana.

Sheron compara a personalidade da personagem às gêmeas Ruth e Raquel, de ‘Mulheres de Areia’, mas acha que será entendida pelas mulheres.

Em entrevista ao Área Vip, a atriz falou de como é dar vida a mais uma vilã em sua carreira e da volta as novelas depois de dar um tempo para se dedicar ao filho, Benjamim, de 1 anos e 8 meses.

Como é fazer a Gisele?

A Gisele, primeiro, tá sendo uma  delícia fazer a Gisele. Ela é uma grande cara de pau, vamos combinar. Ela é muito amiga da chefe, mas tem um caso com o marido dela. Então, juntos, eles tem aquelas tramoias pra convencê-la a vender a editora. Mas o mais gostoso, eu falo que ela é ‘Ruth e Raquel’, ela  é uma mulher de duas caras: uma profissional extremamente atenciosa com a chefe, mas quando vira as costas é outra pessoa, tem que realmente dar aquela quebra, é desafiador sim.

É seu primeiro trabalho depois de se tornar mãe. Como está sendo isso?

Eu tive o privilégio de ficar quase um ano e meio exclusivamente para ele. Depois eu comecei a fazer alguns trabalhos, mas aquele trabalho que você vai e volta, que não demandava tempo e, quando estava com 1 ano e 5 meses, tive de cortar o cordão, o que não é fácil, mas necessário. Foi no tempo certo, fiquei muito feliz de ter esse tempo. Mas já estava com saudade e vontade de trabalhar. Nunca fiquei tanto tempo parada. Desde que entrei na Globo, em 2002, nunca fiquei mais de seis meses fora do ar. Gosto muito do processo de criação de uma personagem, de entender o que acontece. É saboroso para mim.

De onde veio sua inspiração para compor a personagem?

Eu me baseei muito no texto. Tivemos uma preparação bem intensa, conversei muito com os autores e fui construindo. Foram várias informações que vieram e fui construindo de acordo com o texto. Estava lendo as falas da personagem e fiquei chocada com o que ela dizia. Acredito que vocês vão gostar dela. Ela tem um toque de humor. Acho que, em algum momento, as mulheres vão gostar da Gisele porque ela sofre por amor dentro da vilania dela. Ela sofre e, às vezes, dá para entender as atitudes dela.

Ela é uma vilã?

Para mim é sim. A pessoa que faz maldades é vilã.

Você já havia feito uma vilã?

Eu fiz uma, a Berenice, de Lado a Lado, que era sapeca, e acredito que as pessoas vão gostar muito da Gisele. Eu a adoro! Ela tem uma vilania safada, é realmente apaixonada por este homem e faz isso por amor. Ela faz por ela e perde as estribeiras porque gosta deste homem, se vê apaixonada por ele. Vive um relacionamento tóxico com ele.

A Gisele é mulher sensual? Como é o romance dela com o Diego?

Acho que sim porque eles têm uma coisa de pele, transam dentro da copa, ao lado da mulher dele, na sala dela! Eles têm uma cara de pau, uma falta de medo, ao mesmo tempo acho que é isso que excita eles. O Diogo gosta de tê-la e acredito que seja capaz de descarta-la se começar a mexer em seus planos. Ela vai perceber isso em algum momento e, provavelmente, isso vai mexer com ela ao ponto de se sentir descartável.

Ela tem um quê da personagem Laura, da novela Celebridades?

Tem mesmo… Tô gostando disso! Vou anotar!

Como tem sido sua parceria com o Armando Babaioff e a Fabíula Nascimento?

Minha relação com o Baba é incrível, somos amigos há muitos anos e, quando existe a admiração, tudo fica mais fácil e gostoso. Gosto muito do que ele faz e temos uma química muito boa como amigos e, agora, como casal. Estou muito feliz! Nunca tinha trabalhado com a Fabíula, me identifiquei demais com ela. Somos duas sulistas, extremamente diretas, que fala o que pensa e estamos neste clima. Estou satisfeita! É um elenco que estou muito feliz de estar. Também estou muito feliz de voltar para este meio.

Com relação à chefe dela, é sincera e quer ajudar?

Não! Ela é tão boa profissional que faz a maldade dela muito bem. A chefe tem de acreditar naquilo. Acredito que ela vai ser uma personagem gostosa de se assistir. Daquelas que a gente tem o prazer em ligar a televisão.

Você defende que vale fazer tudo por amor?

Não vamos neste caminho. Eu não defendo tudo por amor. Não sou a favor de um amor tóxico, mas quando a gente está neste caminho não percebe. Sempre precisa que alguém te alerte para sair. A Gisele não tem amigos, então como vai sair dessa? Ela só tem o Diogo.

Como foi a transformação do seu cabelo?

Agora está super claro, né? Vim de uma novela de época, então ele estava preto, então mantive. Estava sem química e eles vieram com esta proposta para dar uma quebra nos personagens. Eu achei ótimo! Agora estou com uma franja que eu não tinha, sempre usei o cabelo de lado, uso muito preso, com a franja, que deixa com a cara mais esnobe. Queria ficar com o cabelo mais solto porque isso vende. Pode passear com o cabelo preso ou solto.

Como você cuida? Deixa secar naturalmente?

Jamais! Eu cuido muito, trato em casa, seco com um difusor sempre e finalizo. Só deixo o cabelo molhado quando estou saindo do mar. Só assim!

O Benjamin achou diferente seu novo visual?

Ele ainda não percebe porque é bem pequenininho. Agora ele está com um ano e oito meses e fiz esta mudança há quatro meses, então não percebeu. O Benjamin aprendeu a falar ‘mãe’, então toda hora ele me chama. Sou praticamente uma teta ambulante. Ele gosta de ir para a escolinha, então fico de manhã com ele, dou um beijo de despedida e ele fala ‘tchau’ e sai. Aí eu venho para o trabalho.

Dá um aperto no peito esse momento de despedida?

Não, sabia! Eu gosto porque o vejo feliz e fico bem. Na creche tem câmeras em todos os lugares e fico acompanhando pelo celular. As pessoas ficam brincando comigo que sou doida por ficar vigiando, mas é tão gostoso vê-lo brincando no parquinho e fico tão feliz. Por que vigiar o filho? Nunca liguei. Tivemos tanto tempo juntos e agora era necessário esse afastamento natural para os dois. Foi mais difícil para mim porque é só falar a palavra ‘parquinho’ que ele fica muito feliz.

Pensa em ter mais filhos?

Penso! Aliás, já estava louca para ter outro… Tenho uma amiga que está com um bebê e pensei ‘agora não, né?’, aí falo: ‘vai lá com a mamãe’. Penso, mas agora não. Ainda não durmo direito. Preciso, primeiro, voltar a dormir.

Você é uma mãe desencanada?

Super! Certo dia perguntaram em um shopping ‘é o primeiro filho de vocês?’ e eu respondi que sim. Aí a pessoa continuou ‘é que vocês deixam o filho pelo chão’. Ele engatinha pelo chão do shopping inteiro.

Sua rotina de atividade física continua intensa?

Não é mais. Antes eu fazia exercícios duas ou três vezes por dia porque eu gostava. Só faço ‘agachamento’ o dia inteiro ao pegar o filho no colo. Mas eu consigo, ao menos, uma vez por dia fazer algo. É um momento prazeroso meu. Fico feliz por fazer algo para mim como muay thai, balé fitness, corrida e pilates. Eu gosto disso, é prazeroso e gostoso, senão a gente não a se cuidar. Aliás, quando eu falo ‘se cuidar’ não é querer ficar magra, mas voltar o olhar para mim mesma.

Qual é o balanço que você faz sobre sua carreira?

Tem uma lenda que você é contratado para esperar e gravar é um bônus. Quase metade da minha vida eu passei trabalhando aqui dentro. Amo fazer o que faço, novelas, filmes e teatro. Estudei muito para isso. Sou alguém muito realizada, fiz tudo o que eu queria, personagens incríveis, parei para ter um filho, gravei até os 8 meses e meio de gravidez, sou mãe de casa, cuido dele,faço a comida, levo na creche e volto com gás. Me sinto extremamente realizada. Agora está na hora de aproveitar o que conquistei.

Veja também:



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here